Arquivos de sites

Temporada de futebol começa a esquentar nessa semana

2197049_full-lnd

Argentina e Uruguai enfrentam-se no melhor jogo desta semana / Getty Images

O início de setembro marca o verdadeiro começo das competições de futebol de alto nível no mundo, algo que infelizmente o Brasil e a América do Sul ainda não compreenderam, e insistem em organizar suas competições de forma diferente, encavaladas, mesmo com a facilidade de acesso às informações que permite copiar a fórmula de sucesso europeu.

Neste ano, além do início da UEFA Champions League e dos principais campeonatos nacionais europeus, o início de setembro traz um bônus. Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que se iniciam para as nações da UEFA (Europa), chegam na fase decisiva na AFC (Ásia), trazem partidas importantes na CONCACAF (América Central e do Norte) e na embolada classificação da CONMEBOL (América do Sul), teremos a sétima e oitava rodada, que podem começar a trazer um certo distanciamento entre os países que devem chegar à Copa da Rússia e aqueles que amargarão mais uma Copa pela TV. As disputas na CAF (África) terão sua fase final a partir de outubro, e como sempre devem ser muito equilibradas, pois existem mais de dez candidatos às cinco vagas disponíveis.

Para o Brasil, será uma semana crucial. Tive iniciará sua gestão enfrentando o líder Equador, fora de casa, e em seguida enfrenta a Colômbia, em Manaus, na famigerada Arena da Amazônia. Estamos em sexto lugar, e fora até da repescagem para a Copa, e nossa seleção não traz nenhuma confiança ao torcedor, pois não temos o menor poder ofensivo e jogadores bons, mas somente um craque. Darei meu voto de confiança ao competente Tite, e creio que teremos 4 pontos após estas duas partidas, num 0x0 em Quito seguido de uma magra vitória de 1×0 em Manaus. No melhor estilo do treinador gaúcho (já descobri que não conseguiremos nos livrar destes seres !!!!!)

A Argentina também trocou o comandante, mas na minha opinião estará pior com Bauza do que com o superior Martino, mas deve vencer suas partidas e posicionar-se como a principal força do momento no continente. É a líder do Ranking da FIFA e só não venceu as grandes competições que disputou recentemente por meros detalhes, e especialmente pela incompetência de Higuaín em fazer ao menos UM golzinho entre as diversas chances claras que teve nas finais da Copa do Mundo em 2014, e das Copas Américas de 2015 e 2016.

Equador deve sair com um ou dois pontos após enfrentar Brasil e Peru, e ficará embolado após um início formidável nas Eliminatórias.O Chile pode surpreender, pois seus jogos permitem levar seis pontos, apesar de que o Paraguai está retomando um futebol consistente e pode manter-se na briga com ma vitória sobre os bicampeões da América em Asunción. Uruguai e Colômbia devem levar três pontos nesta semana. As outras seleções são, na minha opinião, cartas fora do baralho.

Para resumir, creio que a classificação continuará embolada após estas duas rodadas.

Na Europa, são 13 vagas (somadas à anfitriã Rússia), e a disputa será em nove grupos, onde os vencedores classificam-se diretamente, e os segundo colocados dos grupos disputam repescagem para as quatro vagas restantes. O pior segundo colocado não participa desta repescagem, portanto apenas a liderança do grupo garante.

Este formato faz com que os grupos com equipes mais equilibradas sejam os mais perigosos, e para sorte de algumas potências futebolísticas, que caíram em um mesmo grupo, isso não aconteceu em todos os grupos da UEFA. Itália e Espanha dividem um grupo, mas seus adversários são fraquíssimos, com pouco risco para o segundo colocado. Em contrapartida, França e Holanda estão no mesmo grupo com a Suécia, que não é nenhuma maravilha mas já atrapalha.

Algumas potências estão em grupos fáceis e devem classificar-se sem muita dificuldade, especialmente Alemanha, Inglaterra e Bélgica. Croácia briga com Turquia e Islândia (!!!) no grupo I, Portugal com a Suíça no grupo B, País de Gales com Sérvia no grupo D, e no fraquíssimo grupo E, Romênia, Dinamarca e Polônia devem aproveitar-se da sorte e obter a vaga na Rússia.

A Ásia “dá” vagas para todo mundo, e os suspeitos de sempre devem se classificar. Austrália e Japão tem um caminho facílimo, e Irã e Coréia do Sul devem disputar as duas vagas do seu grupo com o Usbequistão.

Na África, a Tunísia caiu em um grupo fraco e deve classificar-se, mas o melhor time do continente, a Argélia, enfrenta pedreiras como Nigéria e Camarões. Aposto na Argélia, mas a Nigéria pode beliscar essa vaga na Rússia. Costa do Marfim deve obter a vaga na quarta Copa seguida, pois o os adversários não são assustadores. O grupo D é o de pior nível, e podemos ter estreantes em Copa do Mundo, pois Cabo Verde é um dos candidatos à liderança do grupo, devendo brigar com Senegal e se der alguma zebra, África do Sul. O último grupo também é forte, com Gana favorita sobre o tradicional Egito e o perigoso Congo.

Na Champions League, os suspeitos de sempre são ainda mais favoritos nesta temporada, pois algumas forças estão em baixa ou reestruturando-se, casos das ausentes equipes italianas (Milan, Internazionale e Roma) e inglesas (Manchester United e Chelsea) respectivamente. Novos, e excelentes, treinadores no Bayern Munich (Ancelotti) e Manchester City (Guardiola) podem dar uma nova cara aos já fortíssimos times, que junto com a Juventus devem fazer frente aos espanhóis (Barcelona, Real e Atlético de Madrid) que estão dominando a competição nesta década. Após anos de gastança, o Paris St-Germain não fez nenhum grande movimento mas chega novamente para brigar, com seu elenco estrelado e cheio de craques sulamericanos. Se tiver que escolher uma equipe para surpreender, mesmo que improvável, esta é o Benfica, que tem um grupo razoavelmente fácil e, apesar de ter perdido alguns titulares, tem tido muito sucesso nos últimos anos.

Hoje começa o melhor campeonato de futebol do mundo !

Sterling e De Bruyne, do Manchester City, a incógnita da Champions League deste ano – uefa.com

A UEFA Champions League 2015-16 se inicia hoje, com a participação de praticamente todos os principais clubes europeus, exceção feita para os grandes de Milão, que para piorar as coisas não conseguiram nem as vagas para a Europa League, a forte, mas secundária, competição do continente.

Será a 24a edição desde a renovação que tornou a Copa dos Campeões em uma competição mais robusta, com a inclusão de mais clubes das principais ligas nacionais, e a cada ano crescendo na preferência de todo o planeta, com audiência em todo o mundo premiações astronômicas. A equipe campeã desta edição deverá embolsar mais de 70 milhões de euros em premiação e direitos de transmissão. Para comparação, o vencedor da última Libertadores da América não embolsou nem 10% deste montante.

Uma característica marcante das edições da Champions desde a reformulação é o fato de nunca ter havido um bicampeão em anos consecutivos. Diversos clubes venceram múltiplas edições desde 1993, principalmente Barcelona, Real Madrid e Milan, que foi o último a defender o título com sucesso em 1990. Na fase anterior da Copa dos Campeões, houveram cinco bicampeonatos, dois três e um penta, com o Real Madrid nos cinco primeiros anos da competição, na década de 50.

O atual campeão e melhor time do mundo é o Barcelona, que entra com um alvo gigante nas costas e terá que suar para acabar com esta sina. Conta com o melhor ataque de todos os tempos do futebol mundial, com três jogadores sul-americanos fenomenais (Messi, Suarez e Neymar), e um elenco que se comporta muito bem sob comando de Luis Enrique. A Juventus, finalista de 2015 se enfraqueceu demais com as vendas de Vidal e Tévez, mas muitos concorrentes chegarão com força, especialmente os ingleses de Manchester (City e United) e Londres (o Chelsea começou a temporada muito mal mas tem um time fortíssimo), além de Real Madrid, Bayern de Munique e o cada vez mais robusto Paris Saint-Germain, que não para de reforçar seu ataque, nesta ano com o craque Di Maria.

Meus palpites para os vencedores dos oito grupos:

A – Real Madrid e Paris Saint-Germain

B – Manchester United e Wolfsburg

C – Atlético de Madrid e Benfica

D – Manchester City e Sevilla

E – Barcelona e Roma

F – Bayern de Munique e Arsenal

G – Chelsea e Porto

H – Zenit e Valencia

Arriscar um destes gigantes para ser o campeão é uma loucura, mas escolherei o Barcelona, chegando ao difícil bicampeonato, pois a maioria dos rivais possuem falhas reais, seja no elenco ou principalmente no banco, que podem dificultar na hora de decidir. Técnicos fracos no Real Madrid, Manchester City e Paris Saint-Germain podem causar problemas, e no caso de Bayern de Munique e Chelsea o problema fica por fragilidades defensivas das equipes. Escolho o Chelsea como o principal candidato a superar o Barcelona, pois o elenco é forte e o treinador José Mourinho é capaz de liderar uma sequência  que carregue o time ao título.

A Europa League vem sendo dominada pelos espanhóis na última década, com 4 títulos do Sevilla e 2 do Atlético de Madrid, e neste ano a surpresa pode ser o Athletic Bilbao, que goleou o Barça na final da Supercopa da Espanha e é sempre um adversário difícil no País Basco. Os terceiros colocados da fase de grupos da Champions entram na fase de mata-mata, e existem vários candidatos a este título que poderão surgir pelo caminho da Champions. Outra força será o Borussia Dortmund que voltou a encantar nesta temporada, e é meu candidato ao título da Europa League em 2016.

A nota triste para os brasileiros fica por conta da aquisição dos direitos de transmissão por parte da Turner/Esporte Interativo, canal com mínima penetração nas TVs a cabo, o que impedirá os amantes do bom futebol e acompanhar esta competição. Depois de décadas de cobertura pela ESPN, teremos que seguir o melhor torneio do mundo através de melhores momentos e gols, nos noticiários esportivos. Uma pena !!!!!

UEFA Champions League começa hoje, uma benção para os amantes do futebol

O técnico do Real Madrid Carlo Ancelotti, então no MIlan, comemora o título da Champions em 2003 – AFP

Após meses sofrendo com as sofríveis partidas do Campeonato Brasileiro na TV, a partir de hoje os fanáticos por futebol começam a ser presenteados com as belas apresentações da UEFA Champions League, indiscutivelmente o melhor torneio de futebol anual do planeta.

Ao contrário das competições nacionais do Velho Continente, que infelizmente são dominadas por poucas equipes, a Champions apresenta um impressionante equilíbrio, especialmente desde sua reformulação dos anos 90, quando tornou-se mais robusta com maior premiação, um formato mais adaptado aos interesses da mídia e a inclusão de um maior número de equipes. Desde a edição de 1992-1993, primeira com o nome de Champions League, e principalmente depois do aumento de clubes (incluindo os primeiros colocados dos principais campeonatos nacionais, e não apenas os campeões) participantes em 1997-1998, o torneio começou a ter disputas cada vez mais acirradas e empolgantes.

Uma prova disso está na inexistência de um bicampeão seguido desde este novo modelo, algo surpreendente dentro do futebol e mesmo outras competições esportivas, pois é comum termos supertimes que acabam dominando seu esporte por alguns anos seguidamente. Este é o desafio do Bayern de Munique, atual campeão e favorito para a conquista em 2014, na final que será disputada no Estádio da Luz, do Benfica, em Lisboa. Já marquem a data no calendário, dia 24 de Maio, poucas semanas antes do início da Copa do Mundo.

A maior curiosidade para esta edição está nos bancos de reservas, pois houve uma grande troca de treinadores nos principais clubes para esta temporada, especialmente com a aposentadoria de Sir Alex Ferguson, que comandava o Manchester United desde 1986. Outros gigantes com novos treinadores são Bayern de Munique, Barcelona, Real Madrid, Manchester City, Chelsea e Paris Saint-Germain. Algo incomum e que trará um novo tempero à competição.

Aqui vão meus palpites para as equipes classificadas em cada um dos oito grupos:

A – Manchester United e Real Sociedad

B – Juventus e Real Madrid

C – Paris Saint-Germain e Benfica

D – Bayern de Munique e Manchester City

E – Chelsea e Schalke 04

F – Borussia Dortmund e Napoli

G – Atlético de Madrid e Porto

H – Barcelona e Milan

Achei os grupos bastante tranqüilos para a maioria dos grandes candidatos ao título, pois houve um sorteio que dividiu as forças entre os oito grupos. A exceção ficou para o grupo F, que está realmente muito forte, e meu palpite elimina o tradicionalmente competitivo Arsenal, mesmo após a melhor contratação da temporada, o craque alemão Mesut Özil, que o imbecil do presidente Florentino Perez trocou (por metade do custo) pelo também grande jogador, mas inferior, galês Gareth Bale.

Está difícil palpitar sobre o campeão, com tantos clubes fortes na briga, e espero poder dar um pitaco mais firme após o sorteio dos confrontos da fase final, de mata-mata. Mas como nunca me isento de um risco, vou de Juventus como o campeão desta edição da Champions, batendo o Barcelona na final e conquistando seu terceiro título europeu.

Dos a Cero e as Eliminatórias da Copa do Mundo 2014

Piada dos americanos com a maldição do Dos a Cero

A Copa do Mundo de 2014, a ser disputada no Brasil, conheceu mais cinco países classificados após a rodada de ontem das eliminatórias continentais, e o número de classificados chegou a dez. Após a classificação dos quatro asiáticos (Japão, Coréia do Sul, Austrália e Irã) em junho e do Brasil como país-sede, setembro nos presenteou com alguns dos principais candidatos ao título do torneio, além de deixar outras importantes seleções com vagas praticamente garantidas, caso da atual campeão Espanha, da fortíssima Alemanha e de outros bons times como Colômbia, Chile, Bélgica, Suíça e Rússia. As vagas de ontem foram da nossa principal rival (Argentina), da seleção que nos eliminou na última Copa (Holanda) e daquela que pode empatar conosco em títulos (Itália), além dos Estados Unidos e Costa Rica, que estão disparados na liderança da CONCACAF.

Além das vagas obtidas, vale mencionar a situação triste em que algumas seleções se encontram, especialmente no caso de Paraguai e México, que não conseguem vencer ninguém que preste, e do jeito que as coisas caminham somente conseguirão a vaga com um milagre.

O sufoco mexicano está recheado de sofrimento e curiosidades, e dariam um perfeito enredo para um pastelão tragicômico,  igual as novelas do país asteca. E para piorar, foram mais uma vez derrotados, sem piedade, pelos rivais do Norte, num jogo que teve requinte de sadismo nos momentos finais, reforçando a maldição que dura desde o início do século, chamada de Dos a Cero pelos norte-americanos.

O Dos a Cero surgiu após seguidas vitórias dos EUA sobre o México, pelo placar de 2×0, em importantes disputas na última década. Soma-se à curiosidade do placar o fato dos EUA terem disputados as quatro últimas partidas diante dos rivais na cidade de Columbus, no Estado de Ohio, fincado no coração do meio-oeste americano, um local relativamente remoto e desprovido da imensa colônia mexicana que permeia todo o país, e especialmente os Estados do Sul e do extremo Oeste americano.

A escolha de Columbus foi fruto da pressão de Bruce Arena, técnico dos EUA, nas Eliminatórias para a Copa de 2002, que estava (corretamente) incomodado com o fato de sempre que os EUA enfrentavam o México, geralmente na Califórnia, o estádio tinha 95% de torcida mexicana. Era quase igual enfrentar o rival no famoso Estádio Azteca, e os mexicanos sentiam-se em casa. O pequeno estádio de Columbus, com capacidade para pouco mais de 20 mil torcedores, acabou dando certo, especialmente pela prioridade de compra dos ingressos para os seguidores do time local, o Columbus Crew, o que inibe a possibilidade de mexicanos adquirirem ingressos. No jogo de ontem, ingressos estavam sendo vendidos por volta de US$500 no mercado negro.

Outro fator que colabora com a escolha de Columbus está no clima. Apesar da partida de ontem ter sido disputada no verão, os jogos de 2001 e 2009 caíram em fevereiro, com temperaturas abaixo dos zero graus Celsius, algo que os mexicanos não estão acostumados, fato que aumenta ainda mais a vantagem dos ianques.

Donovan, o comandante dos EUA – FIFA.com/Getty Images

O jogo de ontem trazia um componente raro. O México está em fase horrível e correndo sérios riscos de não se classificar para a Copa, algo raro na fraquíssima CONCACAF. E os EUA praticamente garantiriam a vaga com uma vitória. Após um primeiro tempo fraco, o time da casa, muito bem comandado pelo excelente treinador e ex-craque alemão Jurgen Klinsmann, superou seus grandes desfalques (o volante Michael Bradley e o atacante Jozy Altidore, os melhores jogadores do time) e passou por cima dos visitantes. Chegou aos 2×0 com Landon Donovan aos 33 e teve a oportunidade de fazer o terceiro, quando Clint Dempsey sofreu um pênalti aos 48 minutos da etapa final. Dempsey, o capitão do time, pegou a bola e o resultado pode ser visto neste link. Existe alguma dúvida de que ele tenha errado por querer, para preservar a mística da maldição do Dos a Cero ? Vejam o tweet de Cobi Jones, ex-jogador americano sobre o ocorrido. Eu achei demais, e Dempsey certamente deu um presente aos seus torcedores com este pênalti desperdiçado. Agora é esperar para o eventual confronto de 2017, certamente em Columbus, entre os países, nas eliminatórias para a Copa da Rússia. A não ser que eles se enfrentem no ano que vem, pois na única vez que americanos e mexicanos se enfrentaram em uma Copa do Mundo, nas oitavas-de-final da Copa de 2002, a cidade coreana de Jeonju tinha algo de Columbus. Adivinhem qual foi o placar deste jogo ?

Previsões futebolísticas – EURO 2012

Ronaldo, van Persie e Schweinsteiger, craques do Grupo da Morte da EURO 2012 – Getty Images/ESPN.com

Amanhã começa a EURO 2012, uma das principais competições do futebol mundial. Para muitos é o segundo torneio mais importante do mundo, perdendo apenas para a Copa do Mundo, mas para mim ele fica atrás da Copa das Confederações (adoro este torneio curto) e também para o Mundial sub-20, que considero um torneio importantíssimo pois apresenta os craques que serão destaque no futuro, e inclui um maior número de seleções de todo o mundo.

Esta décima quarta edição da EURO terá a participação de todos os nove campeões do torneio, algo raro em torneios deste tipo. A única seleção estreante será a Ucrânia, co-sede juntamente com a Polônia, e ambas constam entre as mais fracas equipes do torneio. A abertura terá o confronto entre Polônia e Grécia, em Varsóvia, e a final será disputada em Kiev, na Ucrânia, no dia primeiro de julho.

O sorteio criou situações interessantes, especialmente nos grupos A e B. O grupo A é fraquíssimo, o que pode permitir a classificação da anfitriã Polônia, algo que dificilmente ocorreria caso o equilíbrio dos grupos fosse maior. A Rússia é sempre uma incógnita e leva a vantagem sobre os rivais neste grupinho vagabundo. Já o grupo B pode ser considerado o mais difícil de todos os tempos, em qualquer competição deste nível. É composto por quatro seleções top 10 no ranking da FIFA. Apesar disso, creio que Portugal e Dinamarca estejam com ranking muito inflacionado, e não devem causar risco à classificação das verdadeiras potências do grupo, Alemanha e Holanda.

Os últimos grupos são relativamente equilibrados, e devem trazer boas partidas. A Espanha deve passar sem dificuldades pelo grupo C, mas o mesmo não pdoe ser dito em relação à Itália, que enfrenta imensa crise devido ao escândalo de apostas e entrega de jogos no campeonato nacional, e até poucos dias corria o risco de desistir do torneio. O grupo D tem a outra anfitriã (Ucrânia) ao lado da desfalcada e confusa Inglaterra, que na minha opinião não farão frente à embalada França. A Suécia corre por fora como segunda favorita, mas não empolga.

Aqui vão meus palpites para o torneio:

A – Polônia, Rússia, Rep. Checa, Grécia

B – Alemanha, Holanda, Dinamarca, Portugal

C – Espanha, Croácia, Itália, Irlanda

D – França, Suécia, Ucrânia, Inglaterra

Quartas – Polônia x Holanda / Alemanha x Rússia / Espanha x Suécia / França x Croácia

Semi – Holanda x Espanha / Alemanha x França

Final – Holanda x Alemanha

Não estou convicto do meu palpite, pois a Alemanha, apesar de ter apresentado belíssimo futebol nos últimos anos, tem amarelado constantemente nas fases decisivas das competições de grande porte, e não ganha nada há 16 anos, desde a EURO 1996. O mesmo pode ser dito da pipoqueira Holanda, co-rainha do vice ao lado da Alemanha, que sempre se confessa nas decisões. Considero a Espanha o melhor time, mas acho que o time pode sofrer com alguns desfalques ou falta de forma, além de uma pequena falta de união entre os jogadores, principalmente os arquirivais do Barcelona e Real Madrid. A França tem um time forte e bem treinado por Laurent Blanc, e pode surgir por fora. Acho muito difícil que o vencedor seja outro time, que não esses quatro.

Cristiano Ronaldo vive um momento mágico no Real Madrid, mas continua decepcionando na seleção portuguesa. Não vejo nenhuma chance de Portugal ter sucesso nesta EURO, mesmo que o gajo jogue todo seu futebol. Independente disso, espero que tenhamos um ótimo torneio, com equipes ofensivas, boa arbitragem e muitos gols e jogadas bonitas.

%d bloggers like this: