Arquivos de sites

Brasil correndo perigo no Ranking da FIFA

Brasileiros deixam o campo após eliminação - Getty Images

A FIFA apresentou seu aguardado e importante Ranking na manhã de hoje, e apesar de não trazer grandes surpresas, deu uma chacoalhada em alguns países, como já ocorrera na edição de junho, devido à disputa de importantes competições regionais como a Copa Ouro (CONCACAF) e a Copa América (CONMEBOL).

A seleção do México foi quem mais alternou nestes últimos meses, pois conquistou a Copa Ouro e ganhou 19 posições em junho, chegando na nona posição. Mas o desempenho fraco na Copa América, com seu time C, fez com que os mexicanos despencassem onze posições na edição de julho. Os vizinhos dos Estados Unidos também sofreram bastante, caindo seis posições em julho, e agora estão na trigésima posição, pior colocação deles em três anos. Isso ocorreu pela perda de relevância dos bons desempenhos na Copa do Mundo em 2010 e na Copa das Confederações em 2009, bem como pelos resultados ruins na última Copa Ouro, quando conseguiram perder do Panamá na primeira fase.

O outro lado da moeda apresentou a disparada do Uruguai, após o merecido título da Copa América. Os celestes atingiram a melhor colocação desde o início do Ranking da FIFA, com o quinto lugar, colados no Brasil. As trezes posições ganhas pelo Uruguai ficaram pequenas diante das 16 do Chile, 24 do peru e 29 da Venezuela, que aparentemente chegou no grupo das seleções competitivas, com o belíssimo desempenho na Copa América. Ficou claro que um dos facilitadores deste pulo por parte de algumas sleeções foi o México, que com seu timinho perdeu suas três partidas na Argentina, dando pontos importantes para Uruguai, Chile e Peru no Ranking.

Isto ocorreu devido ao formato de cálculo dos pontos (P) do Ranking da FIFA, que é obtido pela multiplicação de quatro fatores:

M: Resultado da partida (3 pontos por vitória, 2 por vitória nos pênaltis, 1 por empate ou derrota nos pênaltis, e zero nas derrotas)

I: Importância da partida (4 em Copas do Mundo, 3 nas Copas Continentais e das Confederações, 2,5 em Eliminatórias e apenas 1 em amistosos)

T: Nível do Adversário, baseado no Ranking da FIFA (2 para o líder, 1,5 para número 50, 1 para o número 100 e 0,5 para qualquer time abaixo do número 150)

C: Nível da Confederação das Equipes, baseado no desempenho nas três últimas Copas do Mundo(1 para UEFA e CONMEBOL até 0,85 para AFC e OFC)

Considero este um critério bastante justo e eficiente, onde a FIFA acertou o modelo do Ranking em 2005, e aparentemente não pretende alterá-lo tão cedo. Este sistema oferece grande vantagem para o vencedor da partida, o que por si só torna-se correto. Outro fator bastante justo está no nível do adversário, que recompensa os resultados mais difíceis. Os demais fatores geram alguma polêmica, pois a diferença de peso entre as confederações poderia ser um pouco maior, já que as equipes da Oceania não são apenas 15% inferiores às da Europa. E nem as sulamericanas merecem o mesmo peso das européias, na minha opinião.

Por fim, a importância da partida. Considero este fator razoavelmente equilibrado, com importância para partidas que valem alguma coisa, mas acho que ainda deveria incluir um outro nível, distinguindo entre partidas das fases iniciais e finais das competições oficiais. A derrota da líder Espanha para a Suíça na primeira partida da Copa de 2010 recebeu o mesmo peso que a vitória sobre a Holanda na final. Mas este não é o único problema deste fator I. E é nele que o Brasil provavelmente será significativamente prejudicado nos próximos anos, como ocorreu com a Alemanha entre 2005 e 2006 e com a África do Sul entre 2008 e 2010. Também vêm sendo afetadas as seleções da Ucrânia e Polônia (sedes da Euro 2012) desde o final de 2010. O que estas seleções têm em comum ? Foram, ou serão, sede de grandes competições internacionais, que requerem a disputa de eliminatórias, cujas partidas possuem peso 2,5 e são disputadas durante longo período. Os países-sede ficam livre destas disputas, e neste período disputam apenas amistosos, com peso 1, e muitas vezes contra adversários mais fracos. Países da CAF e CONCACAF aidna se beneficiam, como ocorria na CONMEBOL até 2007, de disputarem copas regionais a cada dois anos.

Devido à Copa do Mundo de 2014, o Brasil terá apenas amistosos entre o mês de agosto de 2011 e junho de 2013, com a disputa da Copa das Confederações, para somar seus preciosos pontos no Ranking. Finalmente, o último cálculo para o Ranking leva em conta as partidas mais recentes. Os jogos dos últimos doze meses contam 100%, que se reduzem para 50%, 30% e 20% nos doze meses subsequentes. Desta forma, em junho de 2013 o Brasil terá um ano de amistosos a 100%, outro de amistosos a 50%, um ano de maus resultados em amistosos e na fracassada Copa América de 2011 a 30%, e apenas 20% para o último ano da criticada mas bem-sucedida fase sob comando de Dunga. A não ser que a CBF agende somente jogos difíceis, e ao contrário dos últimos confrontos o Brasil consiga ganhar de algum time ao menos razoável, existe o risco de despencarmos muito no Ranking da FIFA nos próximos dois anos. Mais uma razão para descermos a lenha (mesmo que sem o menor impacto) no querido presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Resta torcer para que consigamos um milagre contra a Alemanha, daqui a algumas semanas em Stuttgart, e depois no dia 11 de outubro, também fora de casa, contra o México, aí sim um jogo um pouco mais fácil, mas que também pode apressar a queda caso nosso “excelente” treinador Mano Menezes continue seu ótimo desempenho na seleção canarinho.

Previsões futebolísticas – Copas do Mundo Sub-20 e Sub-17

Neymar, Casemiro e cia. comemoram um gol do Brasil - Fifa.com/AFP

Apesar de não receberem o devido prestígio da mídia, e consequentemente dos torcedores, duas das principais competições futebolísticas do cenário mundial acontecerão nos próximos dois meses, ambas na América Latina. A Copa do Mundo Sub-17 terá início no México neste sábado, encerrando-se no dia 10 de julho. Semanas depois, no dia 29 de julho, inicia-se a principal competição de base, a Copa do Mundo Sub-20, realizada na Colômbia, com encerramento marcado para o dia 20 de agosto. Nesse período também será realizada outra grande competição, a Copa do Mundo Feminina, que será discutida futuramente neste blog.

Minha maior tristeza fica por conta de mais uma entre as inúmeras críticas que tenho em relação ao Ricardo Teixeira como dono do futebol brasileiro. Desde que passou a preocupar-se somente com a seleção principal, abandonou não apenas os clubes, mas também as categorias de base. O Brasil sempre dominou a categoria Sub-20, mas nos últimos vimos de camarote o domínio de nossos hermanos argentinos, que cinco das últimas oito disputas, eliminando o Brasil em duas delas. Neste mesmo período, de 1995 até 2009, conquistamos apenas um título, e para piorar com um time irregular, pois contava com a presença de Carlos Alberto, que anos depois confirmou ser gato. Surpreendentemente o Brasil não teve o título cassado, provavelmente pela influência do comandante da CBF, que deve saber de muita podridão dos bastidores da FIFA.

Na última semana percebo grande pressão do meu São Paulo em relação à convocação dos jogadores para a Copa do Mundo Sub-20. Concordo que perder entre 4 e 7 jogadores durante o Campeonato Brasileiro seria muito ruim, especialmente com o crescimento de produção de jovens como Wellington, Casemiro e Lucas. O problema cai mais uma vez no colo da incompetente CBF, que jamais deveria permitir a disputa do campeonato nacional entre meados de junho e agosto, quando o calendário da FIFA, respeitado por quase todos países, sugere que não sejam disputadas competições oficiais de clubes.

Para piorar esta história, vejo que a CBF levará craques da Sub-20 como Neymar e Lucas para a disputa da Copa América 2011, que vai de 1 a 24 de julho na Argentina. Podem me chamar de maluco, mas creio que a Copa do Mundo Sub-20 seja mais importante que a Copa América, e tenho certeza que a presença destes craques é MUITO mais necessária para a equipe de Ney Franco do que para o time do decepcionante Mano Menezes. É uma pena que continuemos desprestigiando nossos garotos, que até poucos anos eram motivo de grande orgulho com exibições memoráveis nestes mundiais. Tenho lembranças maravilhosas dos times de 1983 e 1985, liderados por futuros craques como Bebeto, Muller, Silas, Taffarel, Geovani, Jorginho e até Dunga.

Infelizmente acompanhar estas competições de base fica ainda mais difícil daqui dos EUA, portanto darei meus palpites baseados nos seguintes fatores: tradição do país na competição, cotação nas casas de apostas, algum conhecimento que possa ter e um pouco de chute. Como de costume, apresentarei meus palpites a partir dos confrontos da fase quartas-de-final. Aqui vão eles:

Copa do Mundo Sub-17:

Holanda x República Checa / Argentina x Brasil

Alemanha x Uruguai / Costa do Marfim x México

Sem ter a menor idéia da qualidade dos times, baseio minha escolha nas cotações e na camisa dos times, e vou colocar fé no título do Brasil, desempatando na liderança desta competição, conquistando o quarto título contra três dos nigerianos.

Copa do Mundo Sub-20:

Brasil x Espanha / Inglaterra x Colômbia

França x Croácia / Portugal x Argentina

O Brasil vem com um time forte, mas terá um choque de favoritos nas quartas contra a também forte Espanha. Acho que cairemos frente aos europeus, e seremos obrigados a torcer para os argentinos não conquistarem o sétimo título, abrindo ainda mais vantagem em relação aos nossos quatro títulos na categoria. Para isso torcerei pela França, que passa pelos nossos vizinhos na semifinal e recebe meu voto como o campeão do torneio. Vale lembrar que França e Colômbia foram os finalistas do Torneio de Toulon 2011, realizado na semana passada, que serve como prévia para esta Copa do Mundo Sub-20.

O estado lamentável do futebol brasileiro

Hernanes lamenta - REUTERS/Gonzalo Fuentes

O futebol brasileiro não cansa de aprontar surpresas desagradáveis para seus apaixonados torcedores. A entidade que comanda o esporte no país é liderada há mais de 20 anos por um ditador, o cada vez mais poderoso e milionário Ricardo Teixeira. A confederação nada em rios de dinheiro, sugando qualquer oportunidade de exposição internacional dos clubes ao aplicar um calendário completamente inadequado, impedindo as equipes que atinjem mais sucesso de participar de algumas das principais competições nacionais e sulamericanas, inviabilizando a realização de pré-temporada e acabando com qualquer oportunidade de amistosos, seja no Brasil ou no exterior, que representam a melhor forma dos clubes expandirem o alcance de suas marcas, e consequentemente aumentando o número de torcedores e alavancando novas fontes de receita.

Meus leitores sabem que reclamo disso há anos, e pessoalmente não vejo nenhuma possibilidade de solução aceitável no futuro próximo, principalmente pela falta de coragem dos dirigentes dos principais clubes do país, que se vendem por qualquer trocado ou agrado por parte da CBF, Federações Estaduais, Clube dos Treze ou da Rede Globo. O reflexo disso está nos seguidos fracassos e grandes decepções causadas pelo nosso futebol nos últimos meses. Em 2010 disputamos uma fraca Copa do Mundo, tivemos um campeonato nacional marcado por polêmicas de arbitragem, favorecimento, tribunal e entrega de jogos, o treinador escolhido para a Seleção recusou o cargo, nosso representante no Mundial de Clubes perdeu para um timeco africano, dois alviverdes amarelaram na pobre Copa Sulamericana, e, após mais de 5 anos, conseguimos perder para a Argentina. 2011 vem mantendo a sequência de fiascos, pois já tivemos a derrota do Corinthians para o “potente” Tolima da Colômbia, tornando-se o primeiro clube brasileiro a ser eliminado na fase PRÉ-Libertadores, e nesta tarde nossa Seleção perdeu mais um amistoso, contra a França, adversário para qual somo fregueses indiscutíveis, pois não os vencemos desde 1992, e desde então são 4 derrotas e 2 empates. Na primeira partida da fase de grupos da Copa Libertadores, que encerrou-se há poucas horas, o campeão Brasileiro Fluminense, com seus inúmeros reforços e elenco supostamente milionário, conseguiu apenas empatar contra o mediano Argentinos Juniors, jogando no Rio de Janeiro, refletindo a grande fase por que passamos.

Num primeiro momento pensei em culpar Mano Menezes pelo fraquíssimo desempenho que seu time demonstrou nas primeiras cinco partidas, mas não sei se devo fazê-lo. Apesar de achá-lo um técnico de nível médio, o considero superior à maioria dos profissionais que atuam no Brasil, pois o nível da categoria está muito baixo no momento. O técnico do meu time é o Carpegiani, um verdadeiro dinossauro. Após anos de conquistas obtidas Deus Sabe Como, estamos vendo o verdadeiro Felipão no Palmeiras, um treinador que não tem a menor noção de tática, que não consegue fazer um time jogar bonito e com padrão de jogo. Outro que não convence é o amarelão Muricy, que afinou de comandar a Seleção e que, tenho certeza, vai pipocar com o Flu na Libertadores. E provavelmente conquistar o bicampeonato no Brasileirão de pontos corridos, caso não seja demitido na metade do caminho.

O motivo de não culpar Mano está na assustadora e fraca safra de jogadores que o Brasil possui atualmente. Mesmo tendo praticamente todos os jogadores à disposição, ele não consegue montar um time forte, eficiente, rápido, que jogue bonito ou que ao menos VENÇA as partidas. ALguém consegue me explicar como um sujeito como o Renato Augusto pode vestir a camisa 10 do Brasil ? E aquele Hulk, com uma bunda maior que a minha ? O David Luiz, que só poderia ser comprado por milhões pelo mafioso do Abramovich, deveria ser proibido de jogar futebol. Se for pra colocar um brasileiro, alto, com aquele cabelão e bom na defesa, seria melhor termos o Anderson Varejão !!! Minha esposa assistiu o jogo e não reconheceu ninguém naquele time. Gosto do Hernanes e achei sua jogada horrenda, mas ele não está à altura do que eu espero da Seleção. mesma coisa com André Santos, André (?!?!?!), Jucilei, Sandro, Philippe Coutinho, Rever e muitos outros que têm sido convocados pelo Carlos Leite…ooooooppppps…Mano. Não convocaria, mas achei o Jadson o melhor em campo, com postura ofensiva e coragem. Daqueles convocados por Mano, aprovo Thiago Silva e Lucas, A sinceramente estou me cansando do Alexandre Pato, que na minha opinião vem regredindo muito nos últimos dois anos, o que é muito lastimável, pois seria a maior esperança de gols que poderíamos ter na Seleção.

Estou com medo do que podemos ver na Copa América, e espero que sejamos eliminados antes de enfrentarmos a Argentina, pois não consigo ver mais um sucesso contra os hermanos na edição deste ano. E nem me fale do amistoso na Alemanha em agosto, que pode acabar com uma goleada humilhante. Boa sorte, futebol brasileiro !!!

%d bloggers like this: