Arquivos de sites

NFL 2013

Peyton Manning e Joe Flacco duelam na abertura da temporada 2013 – RJ Sangosti/The Denver Post via Getty Images

O início de setembro representa um momento de grandes novidades nos EUA. O ano escolar está nas suas primeiras semanas, a primavera prestes a aparecer, e chegou o período esportivo mais desejado pelos americanos. A temporada de futebol americano, tanto no profissional quanto no universitário (e em alguns Estados, como o Texas, podemos incluir as competições do Ensino Médio).

O College Football teve sua primeira rodada de disputa na semana passada, e a Universidade de Alabama desponta como a grande favorita ao título. Caso consiga o êxito, será um feito histórico, pelo tricampeonato seguido, e quarto título em cinco anos. Este será o último ano do sistema BCS, que dará lugar a um playoff entre quatro universidades a partir de 2014, algo que os amantes do esporte pleiteavam há décadas.

A temporada da NFL começa amanhã, com uma excelente partida entre o atual campeão, Baltimore Ravens, visitando o Denver Broncos, um dos principais candidatos ao Trofeu Vince Lombardi neste ano. Estas equipes fizeram uma partida memorável nos playoffs do ano passado, quando os Ravens surpreenderam como visitantes, vencendo na prorrogação após empatarem o jogo com um touchdown impressionante nos segundos finais do jogo. Os Ravens chegam para defender o título em situação curiosa, pois perderam muitos dos seus principais jogadores depois da conquista, especialmente o principal jogador da história da franquia, o linebacker Ray Lewis (aposentado), além do safety e seu parceiro de defesa Ed Reed (Houston Texans) e do excelente receiver Anquan Boldin (San Francisco 49ers).

Os Broncos são os principais favoritos ao título, juntamente dos 49ers e do Seattle Seahawks, e este é um consenso entre praticamente todos os principais analistas e casas de apostas. Mas quem conhece a NFL sabe que o equilíbrio entre as equipes é muito grande, e sempre encontramos surpresas durante a temporada, além das inevitáveis contusões que mudam completamente o panorama das partidas. Na minha opinião, a lista de favoritos ao Super Bowl XLVIII que será disputado no dia 2 de Fevereiro de 2014, pela primeira vez em um estádio aberto em cidade com tempo frio (New York), deve incluir o Atlanta Falcons e o Green Bay Packers. A AFC parece uma corrida de um só cavalo (Broncos, curiosamente tendo este animal como mascote), mas pode ser que o sempre amarelão Texans consiga superar seu complexo e chegar com força na briga desta vez.

Aqui vão meus palpites para a classificação final das oito divisões, em ordem de posição, e com as equipes em negrito chegando aos playoffs, que começam no dia 4 de Janeiro de 2014:

NFC East: Dallas, Washington, NY Giants, Philadelphia

NFC South: Atlanta, New Orleans, Carolina, Tampa Bay

NFC North: Green Bay, Chicago, Detroit, Minnesota

NFC West: San Francisco, Seattle, St. Louis, Arizona

AFC East: New England, Miami, Buffalo, NY Jets

AFC South: Houston, Indianapolis, Tennessee, Jacksonville

AFC North: Baltimore, Cincinnati, Pittsburgh, Cleveland

AFC West: Denver, Kansas City, San Diego, Oakland

Super Bowl: San Francisco 49ers 34 x 27 Houston Texans

Como sabem que gosto de arriscar nos palpites, vou abrir mão dos Broncos, mas não vejo como evitar o retorno dos 49ers à decisão, e desta vez com a conquista do sexto Super Bowl para o time da mais linda e charmosa cidade dos Estados Unidos. Espero que meu Redskins possa repetir o sucesso do ano passado, mas o equilíbrio da NFC East torna muito difícil prever quem leva a divisão, e tomara que eu erre, pois odeio os Cowboys.
Já renovei minha assinatura do NFL Game Pass, serviço que permite acompanhar todas as partidas da liga, no computador ou dispositivos como celulares e tablets. Vale a pena conferirem este serviço, que inclui o ótimo NFL RedZone, que entra ao vivo com qualquer partida em que uma equipe está na iminência de marcar um touchdown.

Previsões esportivas: NFL Playoffs 2012

Green Bay de Aaron Rodgers é o favorito, mas terá pedreira pela frente - Bill Kostroun/AP/NFL.com

Janeiro é um mês relativamente fraco esportivamente, e a exceção fica por conta do futebol americano, que tradicionalmente dá o pontapé inicial para o novo ano com a disputa dos bowl games decisivos da NCAA e com o início dos playoffs da NFL.  Devido à minha ausência nas últimas semanas, serei obrigado a apresentar meus palpites a partir da fase divisional, que será disputada neste final de semana. Apenas uma das quatro partidas da repescagem realizadas no último final de semana trouxe emoção, e bote emoção. O time da casa ganhou com certa facilidade as três primeiras partidas, e esta sequência parecia estar prestes a cair quando o favorito Pittsburgh Steelers entrou em campo contra o Denver Broncos, que jogava em casa beneficiado pela conquista da fraca AFC Oeste, e tinha um retrospecto muito inferior do rival (8 vitórias dos Broncos contra 12 dos Steelers). E após três derrotas consecutivas que acabaram com a magia do quarterback Tim Tebow, merecidamente o novo queridinho da América, o jogo não despertava muito interesse para a maioria das pessoas. Ocorre que Tebow estava numa tarde inspirada e arrebentou no início do jogo, abrindo boa vantagem para os Broncos. Os Steelers resolveram jogar e empataram a partida no final, levando à primeira prorrogação da NFL sob novo formato, onde em caso do time que receber a bola inicialmente assinalar apenas um field goal, seu adversário terá a chance de empatar ou vencer a partida na próxima posse de bola. E não é que, na primeira jogada da prorrogação, Tebow achou seu receiver Demaryius Thomas, que bateu seu marcador e correu para um touchdown de 80 jardas, selando a vitória e o avanço dos Broncos para a próxima fase. E Tebow ainda se deu bem, pois seu contrato recheado de cláusulas de incentivo previa um bônus de US$250 mil em caso de classificação para esta nova fase.

Antes de palpitar sobre o desenrolar das próximas semanas, gostaria de revisitar meus palpites de setembro, o que me traz bastante satisfação pela grande quantidade de acertos. Acertei oito dos doze times classificados para os playoffs, e o único palpite ruim foi colocar o pífio St. Louis Rams como vencedor da NFC Oeste, e depois ver o time acabar com apenas duas vitórias na temporada. Estou receoso em relação ao meu palpite para o Super Bowl, devido à grande irregularidade do New Orleans Saints nas partidas fora do Superdome. Acho que a disputa está bastante aberta na NFC, pois os quatro times (Green Bay Packers, San Francisco 49ers, Saints e New York Giants) possuem equipes fortes e capazes de vencer todos os adversários, de ambas as ligas. Não ponho fé em mais uma partida mágica dos Broncos, e acho que os desfalques no ataque não permitirão um maior avanço do forte Houston Texans, que classificou-se pela primeira vez aos playoffs e venceu sua partida de estréia no último sábado.

Meus palpites, bastante guerreiros, para o restante dos playoffs:

NFC Divisional:

Green Bay Packers 23 x 27 New York Giants

San Francisco 49ers 17 x 30 New Orleans Saints

AFC Divisional:

New England Patriots 27 x 13 Denver Broncos

Baltimore Ravens 24 x 16 Houston Texans

NFC Championship:

New Orleans Saints 34 x 30 New York Giants

AFC Championship:

New England Patriots 27 x 31 Baltimore Ravens

Super Bowl XVI:

New Orleans Saints 30 x 23 Baltimore Ravens

Vou manter meu palpite da pré-temporada e torcer para o segundo título dos Saints nos últimos três anos, pois adoraria rever o craque Drew Brees no Super Bowl novamente. Tenho certeza que os três jogos da NFC serão espetaculares, bem como a provável decisão da AFC. A conquista do time seria um final perfeito para o incrível ano do quarterback que tivemos, onde Brees destruiu o recorde de quase 30 anos de Dan Marino. Além de Brees, Tom Brady e Aaron Rodgers também tiveram atuações fenomenais, num nível jamais visto anteriormente na NFL.

Tenho certeza que os próximos finais de semana serão deliciosos para nós, fãs desta maravilhosa liga.

Previsões esportivas – NFL

Michael Vick, maior estrela da NFL - PhiladelphiaEagles.com

Após um imenso susto, com o locaute dos proprietários dos times aos jogadores no início do ano, resolvido apenas em julho e que causou muito desgaste e o cancelamento de boa parte da pré-temporada, a temporada 2011 da NFL terá início amanhã, com uma excelente partida entre os dois últimos campeões, New Orleans Hornets visitando o atual campeão Green Bay Packers.

A maior liga esportiva do mundo correu grande risco com este locaute, e a partir de amanhã veremos que tipo de impacto isto causou, seja no comportamento dos torcedores como principalmente no condicionamento físico dos atletas, que não puderam se preparar de forma apropriada, e existe grande receio de que hajam mais contusões do que o normal, algo preocupante em um esporte que é altamente violento e arriscado.

Os candidatos ao título e classificação aos playoffs são praticamente os mesmos do ano passado, quando fiz meu palpite, que foi bastante satisfatório, apesar de dizer que os Packers perderiam o Super Bowl para os Ravens. Os principais órgãos de mídia (ESPN e Sports Illustrated) fizeram suas projeções, que apontam os Packers, Saints, New England Patriots, Atlanta Falcons, Pittsburgh Steelers, San Diego Chargers, New York Jets e Philadelphia Eagles como os principais favoritos ao título. Concordo que o campeão sairá de um desses times, e acho que virá da NFC, que alcançará um tricampeonato, algo que não ocorria há quase 20 anos, quando dominou completamente a liga nas décadas de 80 e 90.

Aqui vão meus palpites para a temporada, com os classificados para o playoff em negrito:

NFC East: Philadelphia, NY Giants, Dallas, Washington

NFC South: New OrleansAtlanta, Tampa Bay, Carolina

NFC North: Green Bay, Chicago, Detroit, Minnesota

NFC West: St. Louis, Arizona, San Francisco, Seattle

AFC East: New England, NY Jets, Buffalo, Miami

AFC South: Houston, Indianapolis, Tennessee, Jacksonville

AFC North: PittsburghBaltimore, Cleveland, Cincinnati

AFC West: San Diego, Kansas City, Oakland, Denver

Super Bowl: New Orleans Saints 31 x 23 New England Patriots

Conquistar um bicampeonato, algo relativamente comum nas primeiras três décadas do Super Bowl, tornou-se algo muito difícil recentemente, e apesar de possuir um timaço, vou seguir a tendência e dizer que os Packers não conquistam o Super Bowl, que será disputado em Indianapolis, no dia 5 de fevereiro de 2012. Meu Redskins continua um lixo, pra ser sincero a cada ano pior, algo lamentável para um time tão rico e tradicional. Torcerei para o sucesso dos Eagles, pois adoro o quarterback Michael Vick (que levará o MVP), mas ainda acho que ele não estará preparado para liderar um time para o título neste ano. Sinto que Drew Brees vai botar a casa em ordem e os Saints levam, em uma final emocionante contra os Patriots do craque Tom Brady. A maior surpresa ficará com o Indianapolis Colts, que não chegará aos playoffs, após longa sequência de nove temporadas seguidas nos playoffs, especialmente no ano em que sediará o Super Bowl.

Melhores que vi jogar – NFL

The Top 100: NFL's Greatest Players - NFL.com

Aproveitando o clima pós-Super Bowl (e que jogaço), retomarei a série com a lista dos meus esportistas favoritos, iniciada no ano passado com este post sobre meus jogadores de futebol favoritos. Acompanho a NFL há mais de 20 anos, com maior ou menor intensidade conforme a época e local onde morei neste período, e especialmente a oportunidade de assistir ou acompanhar as partidas e as estatísticas dos jogadores.

Meu primeiro contato mais próximo com o futebol americano ocorreu em janeiro de 1984, quando estava em viagem de turismo com minha família pela Flórida, poucos dias antes do Super Bowl XVIII, a ser disputado entre o Los Angeles Raiders e o Washington Redskins (Raiders massacraram os ‘Skins por 38 a 9). Quatro anos depois, novamente em viagem pelos EUA, estava em Los Angeles e assisti à partida entre Redskins e Chicago Bears, no Divisional da NFC. Foi um jogaço vencido pelo visitante Redskins por 21 a 17, graças ao retorno de punt para touchdown do espetacular Darrell Green. Neste dia tornei-me um fã do time da capital americana, e comecei a me interessar pelo esporte. Já de volta ao Brasil, por sorte descobri que o Super Bowl XXII seria disputado entre meu novo time e o favorito Denver Broncos. Tomei um baque quando Denver fez um touchdown com menos de dois minutos de partida e em seguida ampliou com um field goal. Mas meu time não iria me desapontar e aplicou um tremendo chocolate em John Elway e cia., com direito ao maior quarter da história do Super Bowl, com cinco touchdowns no segundo quarto, abrindo 35 a 10 no placar. O running back Timmy Smith, com o recorde de 204 jardas corridas, ainda adicionaria seu segundo TD no último quarto, fechando o placar em 42 a 10.

Morei nos EUA por um ano e meio entre 1989 e 1991, quando pude assistir ao meu primeiro jogo em um estádio, num dos primeiros jogos de Thursday Night da liga, entre Miami Dolphins e New England Patriots, em 1990, com vitória dos Dolphins do grande Dan Marino por 17 a 10. Neste período passei a entender mais do jogo, principalmente por acompanhar de perto as partidas da NCAA, primeiro da BYU e depois do meu time, o Miami Hurricanes, que tinham um time espetacular no início dos anos 90, causando desespero nos adversários com muita categoria e provocação. Para quem gosta de futebol americano  e de equipes irreverentes, vale a pena assistir ao documentário 30 for 30 da ESPN sobre os Hurricanes, passado bem na época que morei por lá.

A chegada da internet e da TV a cabo no Brasil permitiu que eu pudesse acompanhar o futebol americano nos anos 90 e 2000, e também a aprofundar-me na história da NFL e de seus maiores jogadores. Para esta lista, apresentarei somente os jogadores que vi jogar, portanto aqueles cuja carreira esteve entre 1988 e 2010. Além disso, escolherei basicamente jogadores das chamadas skill positions, pois não sou muito capacitado para julgar linemen, por exemplo. Relembro que são aqueles que EU mais apreciei, não necessariamente os que possuem  melhores estatísticas ou fama, e escolherei multiplos jogadores em algumas posições.

Offense:

QB – Steve Young, Donovan McNabb e Michael Vick

RB – Barry Sanders, Marshall Faulk e Roger Craig

WR – Jerry Rice e Randy Moss

TE – Antonio Gates

Kicker – Mike Vanderjagt

Defense:

DE/LB – Warren Sapp, Bruce Smith e Joey Porter

CB – Darrell Green e Deion Sanders

Safety – Ronnie Lott e Ed Reed

Escolhi poucos jogadores, para que a lista não ficasse muito confusa. Acabei selecionando mais QBs do que pretendia, mas fica clara minha preferência por QBs com grande capacidade de scramble e que nos obrigam a ficar muito atentos na jogada, pois nunca sabemos quando veremos uma que seja memorável.

Playoffs da NFL começam com emoção e surpresas

Craque Aaron Rodgers comemora pelos Packers - Espn.com, Al Bello/Getty Images

Devido às minhas férias e agenda incontrolável, não comentei sobre o encerramento da temporada regular da NFL na semana passada, e por isso não dei minhas opiniões sobre a mesma nem os playoffs, que começaram ontem e há alguns minutos encerrou-se a última partida do Wild Card.

Meu post de 9 de setembro, na véspera do início da temporada, apresentava meus favoritos para cada uma das divisões e para o Super Bowl. Acertei metade dos classificados na NFC e quatro dos seis na AFC. Apesar de não serem favoritos neste momento, vou manter meu palpite para o Super Bowl dado em setembro, com a vitória do Baltimore Ravens sobre o Green Bay Packers.

Sei que é fácil dar palpite depois do páreo corrido, mas meus picks para o Wild Card eram New Orleans, NY Jets, Baltimore e Green Bay, e acabei errando na surpreendente vitória do Seattle Seahawks, primeiro time na história da NFL (quase 90 anos) a chegar ao playoff com mais derrotas que vitórias, sobre o campeão do ano passado, o New Orleans Saints.

O fato mais legal das próximas rodadas dos playoffs está nos grandes confrontos entre rivais que se odeiam, e já enfrentaram-se duas vezes na temporada. Acho que o New England vence o NY Jets e que o Baltimore passa pelo arqui-rival Pittsburgh. Depois os Ravens batem os Patriots e o provável MVP Tom Brady debaixo de neve e frio em Boston, chegando ao Super Bowl. Na NFC creio que o Green Bay vence em Atlanta e faz o mega clássico em Soldier Field contra o Chicago, que passa fácil pelo Seattle. Os rivais da NFC North farão um jogo de muita defesa, provavelmente também sob muito frio e neve, mas os visitantes da terra do queijo levam a melhor pela presença de Aaron Rodgers, na minha opinião um dos melhores quartebacks da liga.

Como de costume, a temporada trouxe gratas surpresas e terríveis decepções. As surpresas positivas foram a linda campanha do Tampa Bay, com o despontar do garoto QB Josh Freeman jogando certinho, do St. Louis com o novato QB Sam Bradford e do Kansas City. Estas equipes vinham de diversos anos muito ruins e cresceram bastante em 2010. As decepções foram várias, mas as principais foram o Minnesota e suas patéticas polêmicas a cada semana, o meu querido e cada vez mais ridículo Washington, que continua sem comando e tomando sempre as decisões erradas, e o Tennessee, que caiu muito de produção e só não dispensou o treinador Jeff Fisher porque o ele é bom demais e a cara da equipe.

%d bloggers like this: