Category Archives: Trabalho

Back in Action

377 dias depois, volto ao blog para dividir minha sabedoria com meus queridos amigos.

A última atualização foi na manhã do dia 12 de junho de 2014, dia da abertura da Copa do Mundo de Futebol, horas antes do Brasil estrear contra a Croácia. Naquele dia deu para perceber que nosso time era ridículo, dependia imensamente de um único jogador e só avançaria com ajuda da arbitragem, muita sorte e principalmente da fragilidade ainda maior dos adversários, razão pela qual chegamos até a semifinal.

Passado o vexame, com um recorde de gols sofridos por um país sede (14 em 7 jogos), um desempenho de 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas e uma choradeira ridícula durante todo o mês, o futebol brasileiro começou a perceber que já não possui a mesma qualidade, apesar de ainda manter um alto prestígio devido à sua história e tradição de sucesso.

Dunga foi chamado e ninguém acreditava que ele pudesse ter êxito, mas o que se viu foi uma seleção comprometida e bem treinada, consciente de suas limitações e bastante oportunista, nos diversos amistosos que o Brasil disputou, vencendo fortes seleções (Chile, Colômbia, Argentina e França), até a derrota da semana passada, na segunda rodada da fase de grupos da Copa América, contra a Colômbia, onde o Brasil não viu a bola e o 1×0 ficou de ótimo tamanho. A partida confirmou o status de overachiever que Dunga manteve com seu trabalho, pois o elenco é muito ruim, disparadamente a pior fase da Seleção Brasileira em todos os tempos. O baixo nível da Copa América pode muito bem permitir que nossa Seleção saia de Santiago com o título, mas está claro que o futebol sul-americano está muito abaixo do europeu, inclusive nas seleções, não somente nos clubes como já ocorre há décadas. A realidade é que o Brasil já não produz bons jogadores há tempos, nem mais bons volantes, zagueiros e goleiros nós temos, pois estes vinham sendo os jogadores de qualidade surgidos na última década, já que meias e atacantes de alto nível não produzimos há mais de 15 anos, com exceção de Neymar, única luz produzida em terras tupiniquins desde o início dos anos 2000, quando Kaká apareceu em 2001.

O Brasileirão 2015 começou há pouco mais de um mês, e algo que não mudou foi a falta de organização dos clubes. 9 treinadores já foram trocados em 8 rodadas, e existem muitos na corda bamba ou com sua função de interino altamente ameaçada. EM 2014 houveram 23 trocas de treinadores, lideradas pelo Criciúma, pior equipe disparada, com 4 trocas na competição. Alguma surpresa deste desempenho ? 2015 deverá mais uma vez levar um carioca à Série B. Vasco, Joinville e Coritiba são fortes candidatos ao rebaixamento, e a briga será boa pela última vaga no Z4.

O último ano foi uma loucura para o Brasil, com a eleição mais disputada de todos os tempos, onde infelizmente a presidente foi reeleita por uma apertada margem, devido ao apoio maçiço da população menos instruída e daqueles que mamam nas tetas do Estado, grupos que infelizmente não param de crescer neste país. Somam-se a estes desqualificados a meia dúzia de imbecis que vivem no conforto mas defendem o socialismo, sistema que a história provou não ser sustentável ou eficiente. Estes cretinos são os verdadeiros responsáveis pelo fracasso do Brasil, pois são eles que manipulam a massa ignorante e perpetuam o grupo inepto e desonesto que comanda o Brasil desde 2003. Para piorar, esta situação repete-se em boa parte da América do Sul, onde nossos imbecis comandantes desfilam com pompa ao lado de líderes falidos que estão sucateado seus países, enquanto dilapidam relações com parceiros fortes como EUA ou países com visão progressista, racional e liberal, como Peru e Colômbia.

No lado pessoal, o último ano foi extremamente corrido, pois abrimos um novo negócio que vem consumindo praticamente todo o tempo da família, principal razão do silêncio deste blog.

Sumiço

Voltei. Após quase um mês desaparecido do meu querido blog, encontrei um tempinho para esta prazerosa atividade. E o pior é que neste período aconteceram inúmeros fatos que normalmente seriam tratados com destaque aqui no blog, mas que infelizmente não pude apresentar.

Desde minha última aparição em 17 de junho, viajei para Orlando (de carro, totalizando mais de 2,5 mil km em 8 dias), Washington e Virginia Beach, arrumei um novo escritório provisório durante o Summer aqui em Darden, participando de diversas palestras, almoços, coquetéis, reuniões e conference calls, e tentei acompanhar como pude as competições esportivas e acontecimentos mundiais no meio disso tudo. Não pude dar a merecida atenção para nossa hóspede que está prestes a retornar ao Brasil (minha sogra), e provavelmente acontecerá o mesmo com outra que chega na próxima segunda-feira (minha mãe).

Perdi a oportunidade de oferecer minhas magníficas previsões para a Copa América e o Mundial Feminino. Após os jogos desta noite, que encerram a primeira fase, darei meus pitacos sobre a fraquíssima competição sulamericana, mas no caso da competição feminina já estamos coma  final definida. Creio que os EUA vençam o Japão com certa facilidade. Meu palpite original seria de título para as anfitriãs (Alemanha), alcançando o tricampeonato. Pouco assisti a partida entre Brasil e EUA, por estar na estrada, mas acompanhei pela ESPN no BlackBerry e, infelizmente, não me surpreendi com o resultado, pois as brasileiras sempre amarelam contra as ianques.

O ponto curioso foi comparar os comentários nos dois países, completamente contraditórios. Por aqui a indignação com a arbitragem foi muito grande, e no Brasil a impressão foi de que nada de anormal ocorreu. Até agora não entendi a repetição da cobrança do pênalti do Brasil (muito duvidoso, mas que eu provavelmente marcaria, só que não expulsaria a defensora). As imagens que assisti não mostram a longa sequência até a decisão da juíza, mas estranho pois não há reação dajuíza ou da bandeirinha, que seguem normalmente sem fazer nada por vários segundos, e repentinamente começa a confusão com o cancelamento da cobrança. Desconfiando muito da FIFA, como de costume, acho que alguém deu ordem pra voltar no ouvido da juíza, para trazer emoção ao jogo. A competição vinha gerando relativamente pouca mídia e este duelo de titãs precisava de um pouco de emoção.

Meus palpites para Wimbledon foram bons, mesmos em acertar nenhum dos vencedores. Acertei as duas finalistas do feminino, mas apostei em Sharapova, e no masculino achei que Nadal e Djokovic cairiam na semi, com título de Federer, que por incrível que pareça fez uma partida quase perfeita conra o francês Tsonga, mas perdeu em 5 sets nas quartas. Foi um excelente torneio nas duas chaves, confirmando a superioridade de Nole sobre Rafa, de forma parecida com a que o espanho possui contra Federer, pois o jogo é extremamente equilibrado, mas os pontos decisivos sempre acabam com o sérvio, que merecidamente atingiu a liderança do ranking mundial, posto que deverá manter por um bom tempo (acho que no mínimo até março de 2012), devido à relativa falta de pontos para defender no restante da temporada. Quem corre risco de perder posição é Federer, que pouco pontuou em 2011 e defende muitos pontos até dezembro, especialmente o título da ATP Finals em Londres.

Também gostei dos meus pitacos (na verdade chutes) para  Mundial Sub-17. Acertei três dos quatro semifinalistas, mas errei os finalistas, pois Brasil e Alemanha foram derrotados na semi e fizeram um (suposto) jogaço na decisão do terceiro lugar. Os mexicanos aparentemente mereceram o bicampeonato, levando a torcida da casa à loucura e arrebatando praticamente todos os prêmios da FIFA.

Não assisti a final da Libertadores, mas parabenizo o Santos pela conquista merecida. E Muricy Ramalho finalmente conquistou a Libertadores ! Para mim sua chegada ao Santos foi perfeita para ambos, pois permitiu que seu estilo feio e retranqueiro se juntasse à leveza e o talento dos craques da equipe, o que levou o time a superar os adversários com o tradicional sistema 1×0 do técnico. A falta de talentos ofensivos não permitiu que o mesmo ocorresse na passagem de Muricy pelo meu Tricolor, pois na hora do aperto em mata-matas, faltava o pequeno detalhe do gol. Quando pude acompanhar os lances e notícias da decisão, percebi que o rapaz que causou a briga e apanhou dos uruguaios é um amigo meu, Éric. Fiquei triste pois o considero um cara legal, mas que foi muito infeliz ao provocar os jogadores naquele momento de raiva. Além do mais, caso tenha dito “Sou Tri !!!”, deveria saber que os uruguaios são pentacampeões da Libertadores.

Prometo retornar nos próximos dias com força total, comentando a excelente viagem a Orlando, a lamentável situação que paralisou a NBA, a World Series de Poker, e qualquer novo assunto que mereça destaque por aqui.

%d bloggers like this: