Category Archives: Cinema

Concorrida noite de domingo na TV

Wade e James lideram o Leste em mais um All-Star Game - NBA.com

Devido ao locaute aplicado pela liga sobre seus jogadores, em julho do ano passado, que ao menos teve um final feliz no final de novembro, a temporada deste ano da NBA ficou toda atrapalhada, e um dos impactos ocorreu na mudança da data original para  All-Star Weekend, que foi prorrogado e ocorrerá neste final de semana, em Orlando. Desta forma, o principal evento será disputado no domingo à noite, e concorrerá diretamente com a premiação do Oscar.

Comentei sobre o prêmio do cinema há algumas semanas, e pra dizer a verdade não tenho o menor interesse em acompanhar a apresentação. Para mim, a “desculpa” do jogo das estrelas da NBA será perfeita para que eu nem perca tempo com as estrelas de Hollywood. Aqui nos EUA existe grande apreensão sobre este assunto, pois é indiscutível que o Oscar é um espetáculo sem graça e monótono, recheado de filmes que pouca gente assitiu ou gostou, alienando principalmente os mais jovens. Para piorar, acabamos de presenciar a excelente premiação do Grammy há duas semanas, com o tão esperado retorno de Adele aos palcos, que provou que a cantora favorita do mundo está recuperada da cirurgia que a tirou do circuito em 2011. O Grammy entende o que agrada a audiência e atingiu recorde de “IBOPE”, algo que certamente não vai ocorrer com o Oscar.

Meus leitores sabem que sou fanático pela NBA, e já descrevi este ótimo final de semana em detalhe em post no ano passado, portanto desta vez apenas farei comentários superficiais. A principal novidade para este ano está numa invenção dos engenheiros do MIT, chamada Slam Net Force, que medirá a força aplicada pelos jogadores durante o concurso de enterradas do sábado.

Minhas previsões para a temporada estão razoáveis, e continuo acreditando numa final entre meu Heat e o perigosíssimo Thunder. Contando os dias para o começo dos playoffs em abril !

James Bond no papel

Aproveitei meu Carnaval debaixo de neve para devorar um excelente livro. Apesar de não haver comemoração semelhante aqui na América, coincidentemente tivemos um feriado nesta segunda-feira, o Presidents’ Day, celebrado em homenagem ao primeiro presidente americano, George Washington. Para aumentar a moleza, as crianças também não tiveram aula na terça, portanto aproveitamos o tempo frio para desfrutar da (Graças a Deus !!!) rara oportunidade de ver uma neve neste quente inverno, ficando em casa jogando baralho, video game, vendo filmes e obviamente comendo e bebendo bastante.

Sou muito fã do James Bond, desde criança, e raramente perco uma oportunidade de assistir aos filmes da série, sejam eles com o favorito da maioria (Sean Connery), o mais odiado (Timothy Dalton) ou o atual e ranheta (Daniel Craig). Há algum tempo pretendia ler uma das histórias originais de Ian Fleming, que criou este personagem nos anos 50, mas jamais havia comprado um dos seus livros. Decidi começar pelo mais recente lançamento, Carte Blanche, escrito pelo competente Jeffery Deaver, conhecido pelos livros da série com o personagem Lincoln Rhyme, conhecido pela adaptação ao cinema Colecionador de Ossos, com Denzel Washington no papel do herói.

Este livro deve ser lançado no Brasil nos próximos meses, e recomendo a todos que comprem e aproveitem desta agradável leitura. Espero que a tradução da Editora Record seja bem feita, caso contrário sugiro que leiam o original em inglês. Gostei bastante da abordagem contemporânea utilizada por Deaver, com um jovem Bond, com pouco mais de trinta anos e recém-chegado à sua função como espião de Sua Majestade, na fictícia agência OGD. A história inicia-se na Sérvia, onde Bond tenta impedir um desastre, e a partir daí continua na Inglaterra e finalmente na África do Sul, onde ocorre a maior parte da trama.

Outra maravilhosa notícia é que teremos mais um filme em 2012, o vigésimo terceiro da séria, que será chamado Skyfall, e não foi baseado em nenhuma história de Bond, ao contrário do que ocorreu na maioria dos filmes mais antigos, baseados nas poucas obras de Fleming, que infelizmente morreu após ter escrito somente catorze histórias de Bond. Este filme foi dirigido por Sam Mendes, que sinceramente não me agrada muito, e terá celebridades como Javier Bardem, Albert Finney e Ralph Fiennes no elenco, sendo que o espanhol será o principal vilão. Será lançado na Inglaterra em outubro e a contagem regressiva já começou.

Oscar 2012

Entrada do Kodak Theatre, palco do Oscar - Oscars.org

Foram apresentados nesta manhã, 24 de janeiro, os candidatos finalistas para o mais importante prêmio do cinema mundial, o Oscar 2012. A cerimônia de premiação será realizada no dia 26 de fevereiro, domingo, às 4 horas da tarde no horário local (Hollywood), 10 horas da noite no Brasil. Será a edição de número 84, e chega com algumas pequenas alterações em relação aos anos anteriores, sendo a principal delas na categoria mais importante, de melhor filme. Essa categoria já havia sofrida grande mudança há dois anos, quando o número de finalistas dobrou dos tradicionais cinco filmes para dez concorrentes. Neste ano, este número ficará entre um mínimo de cinco e um máximo de dez filmes finalistas. Para atingir esta fase, um filme deverá obter pelo menos 5% de votos como número um, na eleição da Academia, onde cada cédula permite um ranking dos filmes por parte de cada eleitor. Este número foi obtido através de uma análise dos votos nas dez últimas edições, quando o quinto colocado recebeu aproximadamente 5% dos votos (os ganhadores receberam cerca de 20% dos votos). Este link descreve as mudanças para este ano, e as razões para tais decisões.

Uma das melhores atrações para esta ano seria a presença (pela primeira vez) de um dos meus comediantes favoritos, Eddie Murphy, como o apresentador da cerimônia, mas devido a uma controversa declaração homofóbica do produtor (Brett Ratner) em novembro, o mesmo decidiu retirar-se da função, e em solidariedade ao produtor e para deixar o suplente à vontade, Murphy abriu mão e teremos, pela nona vez, o também engraçado Billy Crystal no comando do espetáculo. Para quem achava que Crystal estava devidamente aposentado desta tarefa, ele retornará após oito anos, e na minha opinião fará melhor serviço que os últimos apresentadores. Tomara que Murphy seja convidado novamente em 2013, até porque o comentário de Ratner foi bastante banal e não deveria ter causado tamanho furor, mas como todos sabemos, a mídia adora tomar atitudes politicamente corretas em ocasiões como essas, e dá espaço para um bando de hipócritas aparecerem como coitadinhos, vítimas de preconceito. Dizer que ensaio é “coisa de viadinho” no meio de uma entrevista não me parece algo agressivo. Certamente infeliz, mas não agressivo.

A lista dos nomeados apresentou poucas surpresas, e como já se tornou costume desde o crescimento de premiações pré-Oscar nos últimos anos, os favoritos já são conhecidos neste momento. O Golden Globe ocorreu há duas semanas, e neste domingo teremos o Screen Actors Guild, escolhidos pela imprensa internacional e pelo sindicato dos atores respectivamente, e as bolsas de apostas já apresentam suas cotações para os vencedores. Finalmente, no dia 12 de fevereiro, será a vez do BAFTA, com escolha pela importante Academia Inglesa. Nesta página do PartyBets podemos ver que O Artista, comédia muda produzida na França, desponta como franco (perdão pelo trocadilho) favorito à conquista do troféu, chamado de Oscar pois uma funcionária da Academia achou a estatueta parecida com seu tio de mesmo nome. O filme foi nomeado em dez categorias, atrás somente de A Invenção de Hugo Cabret, um filme de aventura em 3D que custou US$150 milhões, absurdas doze vezes mais que o concorrente francês.

Assisti a muito pouco dos filmes concorrentes, li ou ouvi comentários sobre alguns, li livros de outros tantos, e sobre outros não tenho a menor idéia. Como amante dos esportes, havia lido (há muito tempo) e adorado Moneyball, e achei o filme razoável. Não quis assistir The Help mas quem assistiu gostou. Ouvi boas coisas sobre Os Descendentes e pretendo assistir em breve. Achei o livro Extremamente Alto & Incrivelmente Perto MUUUUIIIIIIIITO chato, e acho que o filme certamente será melhor, simplesmente pelos excelentes atores do elenco. Incrível que o livro recebeu tradução literal no Brasil, mas como de costume a cópia do cinema teve seu nome assassinado, tradição brasileira, e foi simplificada por Tão Forte e Tão Perto. Li o primeiro livro da trilogia de Stieg Larsson e não me empolguei a ler o segundo (comprei e está encostado na prateleira), mas assiti às versões suecas dos três filmes e fiquei contente com todos. Pretendo assistir à versão americana mas não sei se Rooney Mara será uma Lisbeth Salander tão interessante quanto a original, incorporada pela sueca Noomi Rapace.

Como não sou cinéfilo ou entendido, e pelo visto as principais categorias parecem definidas, não vejo motivo de dar meus palpites, MAS para não decepcionar meus leitores, aqui vão meus chutes (prometo tentar ser irreverente quando não houver barbada):

Roteiro Adaptado – Alexander Payne (Os Descendentes)

Roteiro Original – Woody Allen (Meia-noite em Paris)

Atriz Coadjuvante – Octavia Spencer (The Help)

Ator Coadjuvante – Christopher Plummer (Beginners)

Atriz – Meryl Streep (A Dama de Ferro)

Ator – George Clooney (Os Descendentes)

Diretor – Michel Hazanavicius (O Artista)

Filme – O Artista

Ao contrário do que muitos pensam, Meryl Streep não vence um Oscar há 30 anos, apesar de ser nomeada ano após ano, e quem sabe ela consegue conquistar sua terceira estatueta em 2012. Não creio que gostarei do filme sobre Margaret Thatcher, mas tenho certeza que Streep teve uma de suas sempre competentes atuações.

Trust (Confiar) – Um filmaço que recomendo

Poster do Filme Trust - blog.trustmovie2011.com

Graças à minha querida Netflix, assisti um excelente filme na noite de ontem. Seu nome é Trust, e foi lançado no ano passado em circuito muito reduzido, ficando longe dos holofotes da mídia. Para sorte dos brasileiros, descobri que será lançado no final do mês em circuito no país, a partir de 26 de agosto (vejam o trailer). Fiquem de olho pois vale a pena conferir. Para os que moram aqui nos EUA, recomendo que adicionem na lista da Netflix ou corram até sua locadora, pois o filme não está disponível nas máquinas da Redbox ou Blockbuster Express.

Encontrei este filme na Netflix há algumas semanas, pois mesmo sem ter ouvido falar notei que havia recebido notas altas dos usuários, e tinha em seu elenco o britânico Clive Owen, cujos filmes geralmente me agradam. Quando li a sinopse, decidi que seria um bom file, e ainda me surpreendi com o fato de ser dirigido por David Schwimmer, o engraçadíssimo Ross da ótima série de TV Friends. O elenco ainda conta com Catherine Keener e a jovem, e excelente atriz, Liana Liberato, num papel que a tornou reconhecida e merecedora de prêmios e elogios. O mais rigoroso e célebre crítico de cinema norte-americano, Roger Ebert, deu nota máxima ao filme, o que normalmente reforça na sua escolha.

O filme trata de um assunto extremamente atual e perigoso, que são os crimes através da internet. Numa família feliz e bem-sucedida, a filha adolescente acaba envolvendo-se com um rapaz em uma sala de chat, e a partir daí seus problemas começam. Quem tem filho (ou filha) vai sentir na pele a emoção dos pais, o sofrimento de todos os personagens envolvidos, que incluem assistentes sociais, agentes federais e colegas de escola. Como já se tornou hábito em Hollywood, o filme é alvo de constante “merchan” da Apple, desde o Macbook que a adolescente ganha de aniversário até o iPhone, usado como se fosse brinco ou amiga inseparável durante o filme.

Ficarei no aguardo dos comentários de vocês após assistirem ao filme.

Sumiço

Voltei. Após quase um mês desaparecido do meu querido blog, encontrei um tempinho para esta prazerosa atividade. E o pior é que neste período aconteceram inúmeros fatos que normalmente seriam tratados com destaque aqui no blog, mas que infelizmente não pude apresentar.

Desde minha última aparição em 17 de junho, viajei para Orlando (de carro, totalizando mais de 2,5 mil km em 8 dias), Washington e Virginia Beach, arrumei um novo escritório provisório durante o Summer aqui em Darden, participando de diversas palestras, almoços, coquetéis, reuniões e conference calls, e tentei acompanhar como pude as competições esportivas e acontecimentos mundiais no meio disso tudo. Não pude dar a merecida atenção para nossa hóspede que está prestes a retornar ao Brasil (minha sogra), e provavelmente acontecerá o mesmo com outra que chega na próxima segunda-feira (minha mãe).

Perdi a oportunidade de oferecer minhas magníficas previsões para a Copa América e o Mundial Feminino. Após os jogos desta noite, que encerram a primeira fase, darei meus pitacos sobre a fraquíssima competição sulamericana, mas no caso da competição feminina já estamos coma  final definida. Creio que os EUA vençam o Japão com certa facilidade. Meu palpite original seria de título para as anfitriãs (Alemanha), alcançando o tricampeonato. Pouco assisti a partida entre Brasil e EUA, por estar na estrada, mas acompanhei pela ESPN no BlackBerry e, infelizmente, não me surpreendi com o resultado, pois as brasileiras sempre amarelam contra as ianques.

O ponto curioso foi comparar os comentários nos dois países, completamente contraditórios. Por aqui a indignação com a arbitragem foi muito grande, e no Brasil a impressão foi de que nada de anormal ocorreu. Até agora não entendi a repetição da cobrança do pênalti do Brasil (muito duvidoso, mas que eu provavelmente marcaria, só que não expulsaria a defensora). As imagens que assisti não mostram a longa sequência até a decisão da juíza, mas estranho pois não há reação dajuíza ou da bandeirinha, que seguem normalmente sem fazer nada por vários segundos, e repentinamente começa a confusão com o cancelamento da cobrança. Desconfiando muito da FIFA, como de costume, acho que alguém deu ordem pra voltar no ouvido da juíza, para trazer emoção ao jogo. A competição vinha gerando relativamente pouca mídia e este duelo de titãs precisava de um pouco de emoção.

Meus palpites para Wimbledon foram bons, mesmos em acertar nenhum dos vencedores. Acertei as duas finalistas do feminino, mas apostei em Sharapova, e no masculino achei que Nadal e Djokovic cairiam na semi, com título de Federer, que por incrível que pareça fez uma partida quase perfeita conra o francês Tsonga, mas perdeu em 5 sets nas quartas. Foi um excelente torneio nas duas chaves, confirmando a superioridade de Nole sobre Rafa, de forma parecida com a que o espanho possui contra Federer, pois o jogo é extremamente equilibrado, mas os pontos decisivos sempre acabam com o sérvio, que merecidamente atingiu a liderança do ranking mundial, posto que deverá manter por um bom tempo (acho que no mínimo até março de 2012), devido à relativa falta de pontos para defender no restante da temporada. Quem corre risco de perder posição é Federer, que pouco pontuou em 2011 e defende muitos pontos até dezembro, especialmente o título da ATP Finals em Londres.

Também gostei dos meus pitacos (na verdade chutes) para  Mundial Sub-17. Acertei três dos quatro semifinalistas, mas errei os finalistas, pois Brasil e Alemanha foram derrotados na semi e fizeram um (suposto) jogaço na decisão do terceiro lugar. Os mexicanos aparentemente mereceram o bicampeonato, levando a torcida da casa à loucura e arrebatando praticamente todos os prêmios da FIFA.

Não assisti a final da Libertadores, mas parabenizo o Santos pela conquista merecida. E Muricy Ramalho finalmente conquistou a Libertadores ! Para mim sua chegada ao Santos foi perfeita para ambos, pois permitiu que seu estilo feio e retranqueiro se juntasse à leveza e o talento dos craques da equipe, o que levou o time a superar os adversários com o tradicional sistema 1×0 do técnico. A falta de talentos ofensivos não permitiu que o mesmo ocorresse na passagem de Muricy pelo meu Tricolor, pois na hora do aperto em mata-matas, faltava o pequeno detalhe do gol. Quando pude acompanhar os lances e notícias da decisão, percebi que o rapaz que causou a briga e apanhou dos uruguaios é um amigo meu, Éric. Fiquei triste pois o considero um cara legal, mas que foi muito infeliz ao provocar os jogadores naquele momento de raiva. Além do mais, caso tenha dito “Sou Tri !!!”, deveria saber que os uruguaios são pentacampeões da Libertadores.

Prometo retornar nos próximos dias com força total, comentando a excelente viagem a Orlando, a lamentável situação que paralisou a NBA, a World Series de Poker, e qualquer novo assunto que mereça destaque por aqui.

%d bloggers like this: