Category Archives: Pessoal

Back in Action

377 dias depois, volto ao blog para dividir minha sabedoria com meus queridos amigos.

A última atualização foi na manhã do dia 12 de junho de 2014, dia da abertura da Copa do Mundo de Futebol, horas antes do Brasil estrear contra a Croácia. Naquele dia deu para perceber que nosso time era ridículo, dependia imensamente de um único jogador e só avançaria com ajuda da arbitragem, muita sorte e principalmente da fragilidade ainda maior dos adversários, razão pela qual chegamos até a semifinal.

Passado o vexame, com um recorde de gols sofridos por um país sede (14 em 7 jogos), um desempenho de 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas e uma choradeira ridícula durante todo o mês, o futebol brasileiro começou a perceber que já não possui a mesma qualidade, apesar de ainda manter um alto prestígio devido à sua história e tradição de sucesso.

Dunga foi chamado e ninguém acreditava que ele pudesse ter êxito, mas o que se viu foi uma seleção comprometida e bem treinada, consciente de suas limitações e bastante oportunista, nos diversos amistosos que o Brasil disputou, vencendo fortes seleções (Chile, Colômbia, Argentina e França), até a derrota da semana passada, na segunda rodada da fase de grupos da Copa América, contra a Colômbia, onde o Brasil não viu a bola e o 1×0 ficou de ótimo tamanho. A partida confirmou o status de overachiever que Dunga manteve com seu trabalho, pois o elenco é muito ruim, disparadamente a pior fase da Seleção Brasileira em todos os tempos. O baixo nível da Copa América pode muito bem permitir que nossa Seleção saia de Santiago com o título, mas está claro que o futebol sul-americano está muito abaixo do europeu, inclusive nas seleções, não somente nos clubes como já ocorre há décadas. A realidade é que o Brasil já não produz bons jogadores há tempos, nem mais bons volantes, zagueiros e goleiros nós temos, pois estes vinham sendo os jogadores de qualidade surgidos na última década, já que meias e atacantes de alto nível não produzimos há mais de 15 anos, com exceção de Neymar, única luz produzida em terras tupiniquins desde o início dos anos 2000, quando Kaká apareceu em 2001.

O Brasileirão 2015 começou há pouco mais de um mês, e algo que não mudou foi a falta de organização dos clubes. 9 treinadores já foram trocados em 8 rodadas, e existem muitos na corda bamba ou com sua função de interino altamente ameaçada. EM 2014 houveram 23 trocas de treinadores, lideradas pelo Criciúma, pior equipe disparada, com 4 trocas na competição. Alguma surpresa deste desempenho ? 2015 deverá mais uma vez levar um carioca à Série B. Vasco, Joinville e Coritiba são fortes candidatos ao rebaixamento, e a briga será boa pela última vaga no Z4.

O último ano foi uma loucura para o Brasil, com a eleição mais disputada de todos os tempos, onde infelizmente a presidente foi reeleita por uma apertada margem, devido ao apoio maçiço da população menos instruída e daqueles que mamam nas tetas do Estado, grupos que infelizmente não param de crescer neste país. Somam-se a estes desqualificados a meia dúzia de imbecis que vivem no conforto mas defendem o socialismo, sistema que a história provou não ser sustentável ou eficiente. Estes cretinos são os verdadeiros responsáveis pelo fracasso do Brasil, pois são eles que manipulam a massa ignorante e perpetuam o grupo inepto e desonesto que comanda o Brasil desde 2003. Para piorar, esta situação repete-se em boa parte da América do Sul, onde nossos imbecis comandantes desfilam com pompa ao lado de líderes falidos que estão sucateado seus países, enquanto dilapidam relações com parceiros fortes como EUA ou países com visão progressista, racional e liberal, como Peru e Colômbia.

No lado pessoal, o último ano foi extremamente corrido, pois abrimos um novo negócio que vem consumindo praticamente todo o tempo da família, principal razão do silêncio deste blog.

Anúncios

Nuggets de Julho

Federer beija seu sétimo troféu em Wimbledon – Paul Zimmer/rogerfederer.com

Volto à atividade ao blog, após mais de um mês ausente, devido às diversas mudanças que têm tomado imenso tempo, mas que estão sendo resolvidas e espero em breve retomar um ritmo mais constante e retribuir meus queridos leitores com textos mais frequentes. Queria escrever este post na semana passada, mas esperei um pouco mais para poder incluir alguns assuntos que considerei pertinentes, e que teriam seu desenrolar nesta semana. Adianto que será um texto relativamente longo, mas espero que gostem.

O último mês foi recheado de grandes eventos esportivos, com resultados que geraram muita discussão e obtiveram imenso espaço na mídia internacional, e que discutirei dentro deste post, que chamei de nuggets, que em inglês significa pepita (normalmente de ouro, não de frango), termo utilizado por um professor que tive e que pedia aos alunos para resumirem cada aula, através dos principais nuggets que foram discutido na sala. Aqui vão as pepitas do último mês:

Volta ao Brasil

Após quase quatro anos morando em Charlottesville (VA-EUA), retornamos ao Brasil no último dia 21 de junho. Ao contrário do que muitos falaram, as coisas continuam, na minha opinião, do mesmo jeito por aqui. O que diziam ter piorado muito não piorou tanto, e o que melhorou evoluiu menos do que me contaram. Ainda estou morando na casa da minha sogra, mas recebi meu apartamento de volta há uma semana e espero tê-lo em condições para habitá-lo até o final do mês. A mudança dos EUA foi trabalhosa, custosa e corrida, e o container com a maior parte da mudança deverá chegar apenas no final de agosto, portanto “acamparei” em casa por um tempinho. Praticamente acertamos a escola das crianças e estou com boas perspectivas para definir onde e com que irei trabalhar, e em breve trarei novidades. A primeira coisa que fiz foram retornar ao clube, e já tive o prazer de jogar duas vezes na Copa Sïrio, algo que estava com muita saudade, Meus filhos estão adorando passar quase todas as tardes no clube e isto tem ajudado demais nestes dias atribulados que eu e a Chris temos tido aqui em São Paulo, correndo atrás de documentos, reforma de apartamento, etc.

NBA Finals

Ganhamos !!! Mau Miami Heat tornou-se bicampeão da NBA (2006 e 2012), após um sofrido playoff que parecia uma montanha-russa, onde o time enfrentou desfalques, críticas, brigas internas e especialmente adversários fortíssimos e ultra-inspirados. Ocorre que, ao contrário das finais de 2011, quando LeBron James mostrou-se inseguro nas finais contra os Dallas Mavericks (mesmo tendo jogado demais contra o Chicago Bulls na final do Leste, algo que ninguém dá valor), em 2012 James destruiu os adversários em todas as rodadas, incluindo partidas memoráveis como o jogo 4 contra o Indiana Pacers, o impossível jogo 6 na casa do Boston Celtics e especialmente nas finais, no decisivo jogo 5 contra o ótimo Oklahoma City Thunder.

EURO 2012

A Espanha continua a reinar e encantar o mundo com seu futebol, conquistando sua terceira EURO ao bater a Itália por 4×0, com um show de competência, espírito de equipe e organização, e para muitos se posiciona como a maior equipe de futebol de todos os tempos, à frente de outras máquinas como a Hungria dos anos 50, o Brasil dos anos 60 ou a Alemanha dos anos 70. Os espanhóis ainda dominam os adversários com seu estilo tiki-taka, de inúmeros passes curtos, com altíssima precisão, e devoção total à retomada da posse de bola, o que impossibilita os adversários  de criar jogadas de gol. Este estilo fez com que a Fúria atingisse o impressionante desempenho de dez partidas seguidas de mata-mata, nas EURO 2008 e 2012 e na Copa do Mundo de 2010, sem levar gols. Este número é absurdo e representa a superioridade do time, que apesar de sofrer para marcar gols, simplesmente não sofre nenhum perigo, e a esperança adversária está em alcançar a disputa de pênaltis. A Espanha tem tudo para manter-se, com folga, no topo do ranking da FIFA, e é a favorita disparada para a conquista da Copa de 2014.

Libertadores 2012

Finalmente o Corinthians venceu uma Libertadores. Recebi muitas ofensas de corintianos nos meus posts sobre a competição, apesar de que, desde o início, considerei o time um dos favoritos, mas achava que as limitações ofensivas impediriam que o time superasse o Santos, na semifinal. Mas o time da baixada, mau comandado pelo fraco Muricy Ramalho, nada fez diante do rival e, apesar de ter um elenco mais talentoso, foi eliminado justamente, e não pode tentar o tetra frente os argentinos. Torci para a derrota dos sardinhas e na final, pouco me importava com o resultado, pois não gosto de nenhum dos dois times, mas achei que o alvinegro de SP foi o que mais mereceu este título, pela campanha incrível que fez durante todas as fases. Não há como contestar, descaracterizar ou tentar diminuir esta conquista, que além de invicta foi obtida contra adversários que, apesar de fracos tecnicamente, tinham imensa tradição na competição, fato que sempre predominou diante do clube em anos anteriores.

Tênis

Não fiz minhas costumeiras previsões para Wimbledon, que mais uma vez seriam incorretas, pois meus palpites seriam para uma repetição dos vencedores de Paris, com Rafael Nadal e Maria Sharapova. Nadal caiu na segunda rodada, uma baita zebra, e Sharapova nem alcançou a semifinal. Serena Williams renasceu das cinzas e parece que está pronta para retomar o topo do ranking feminino, até o final do ano, e Roger Federer conseguiu algo que parecia impossível. Ganhou seu décimo título de Grand Slam e empatou com Pete Sampras no número de títulos do torneio inglês e no número de semanas no topo do ranking da ATP, um recorde que muitos achavam que o suíço não conseguiria igualar, devido à imensa distância que se encontrava em relação a Novak Djokovic há um ano. Mas Federer papou quase tudo após o US Open de 2011, e na semana que vem terá mais este recorde só para si. Estou muito contente com este resultado, e feliz por ter errado meu palpite, pois vocês já devem ter percebido que não gosto nenhum pouco do espanhol Nadal.

Futebol Brasileiro

O moribundo Palmeiras conquistou, merecidamente, a Copa do Brasil na noite de ontem, fato importante para que o clube possa buscar a retomada de sua posição de força e destaque entre seus pares brasileiros, algo que vinha sendo questionado devido aos péssimos resultados dos últimos anos, que reduziu o clube ao segundo plano, especialmente no Estado de São Paulo. Continuo achando o time fraquinho, mas soube aproveitar da experiência de Felipão para conquistar este título, mesmo com um futebol defensivo e totalmente dependente de jogadas de bola parada, através do excelente capitão Marcos Assunção.

Jogos Olímpicos

Na próxima semana, farei minhas tradicionais previsões sobre os Jogos Olímpicos de Londres, competição esportiva que mais aprecio, inclusive se comparada à Copa do Mundo de futebol.

Um abraço e até breve !

Viver e não ter a vergonha de ser feliz

Decidi utilizar esta frase de início de uma das minhas músicas favoritas, O que é? O que é?, do saudoso Gonzaguinha, como título deste post melado sobre a vida, felicidade, família, amigos e esta época mágica do ano que se aproxima.

Passei esta noite relembrando este ano de 2011, contente com a chegada do Natal que será premiada com a visita dos meus pais e minha sogra, que chegam nos próximos dias. Estou num quarto de hotel ao lado do aeroporto de Dulles, onde as camas são menores que a de casa e eu e a Chris decidimos dormir com as crianças. Como geralmente ocorre nestas situações acabo dormindo com o Rafa, e fico comparando minha relação com ele com aquela com meu pai. Após mais de onze meses, irei revê-lo amanhã, e estou muito contente. Jamais passei tanto tempo sem vê-lo, e por incrível que pareça, este ano de 2011 foi o primeiro que não passei seu aniversário com ele. De todas as datas importantes da família, já havia “perdido” todas durante minha vida, mas jamais o aniversário do meu pai. Sempre tivemos uma relação muito próxima e sou grato por ter relação semelhante com meu filho. Somos companheiros e gostamos das mesmas coisas, de avô a neto, e sei que as próximas semanas serão muito agradáveis para nós três.

2011 foi um ano diferente para mim. Estive no Brasil até o início de janeiro, quando pude rever grandes amigos e a família, e até junho desfrutei da companhia de queridos amigos aqui em Charlottesville. Fomos para Orlando em junho e revimos dois “irmãos”, e logo em seguida tivemos a visita das duas avós aqui em casa, o que nos manteve juntos ao Brasil e  à família por um bom tempo, durante as férias escolares das crianças. Devido a inúmeros problemas burocráticos, ficamos impossibilitados de viajar desde julho, razão pela qual não pudemos retornar ao Brasil neste Natal. Na verdade mal pudemos sair da cidade, e estes últimos meses foram praticamente vividos em nossa casa. Agradeço à Chris por me aguentar neste período, especialmente aos domingos quando o Rafa exige que fiquemos em casa assistindo futebol americano o dia todo (o que não é sacrifício para mim). Em contrapartida, foi um semestre de intensivo convívio entre os quatro, o que sempre é muito bom. E é verdade que fizemos poucas mas boas amizades neste período, curiosamente com dois casais com esposas brasileiras e maridos americanos, com filhas da idade da Helena e que mudaram-se nos últimos meses para o nosso condomínio. Haja coincidência !!!

Ontem foi aniversário da minha linda sobrinha Belinha, e fiquei triste em não poder estar ao lado da família, mas espero poder estar por perto no nascimento da Luisa, nos próximos meses. Conversamos com ela pelo Nextel e vi as lindas fotos da festa pelo Facebook. Apesar de muitos amigos não participarem das redes sociais, muitos o fazem e espero que cada vez mais juntem-se ao Facebook, Twitter, Foursquare e LinkedIn, nem que seja para ter apenas eu como amigo ou seguidor, pois desta forma permitem que eu me sinta por perto.

Saibam que segui seus passos por estas redes, bem como pelo site da Copa Sírio, MSN, Skype, etc. Muitos mantiveram contato através dos embates do fantasy, que neste ano incluíram basquete e o futebol americano. Desde 2008, quando vim pros EUA, perdi diversos casamentos (dois em 2011), nascimento de filhos, cirurgias e sustos por enfermidades, e também momentos de felicidade e superação. Não cheguei a torcer, mas fiquei até satisfeito com o título do Corinthians por saber como tornaria meu afilhado feliz. E estava torcendo para o Santos obter um milagre e vencer o Barça nesta manhã, mas enquanto escrevo vejo o massacre na outra metade da tela, com os 3×0 do intervalo que devem ter trazido dor de cabeça e revolta aos iludidos da baixada, que gastaram dez mil dólares para ir até o outro lado do mundo passar frio e participar deste vexame.

Tenho que desligar pois minha sogra deve estar passando pela imigração em breve e precisamos estar prontos. Vou acordar as crianças. Um abraço a todos e que tenham um Feliz Natal e Espetacular 2012 !!!

Hoje é sexta-feira, dia de Cerveja !

Blue Moon

A deliciosa cerveja Blue Moon - facebook.com/bluemoon

Em homenagem a esta bela, e já um pouco fria sexta-feira de outono aqui em Charlottesville, falarei sobre uma de minhas maiores paixões, a cerveja. Esta maravilha da humanidade, inventada há cerca de oito mil anos e presente em praticamente todas as nações e culturas, vem tornando-se cada vez mais presente na vida social das pessoas, devido à imensa variedade oferecida no mercado, que coloca grandes conglomerados multinacionais como Anheuser-Busch InBev, SABMiller, Heineken, Grupo Modelo, Asahi e Carlsberg ao lado de pequenas e médias cervejarias como minhas favoritas Blue Moon, Samuel Adams e a local Starr Hill, permitindo aos amantes da cerveja a oportunidade de experimentar diversos tipos, formatos e preços desta adorável bebida.

Fui pesquisar as estatísticas sobre o consumo mundial de cerveja, e fiquei surpreso e contente com o crescimento do Brasil neste mercado, consolidando-se recentemente como a terceira nação que mais consome cerveja no mundo, atrás da China e dos Estados Unidos. Ainda estamos longe no ranking de consumo per capita, mas já não somos motivo de piada entre os cervejeiros do mundo. O brasileiro consome cerca de 60 litros de cerveja por ano, o equivalente a 100 garrafas de 600ml por pessoa. Com certeza muitos dos meus leitores consome bem mais que isso. Eu creio que deva consumir pelo menos uns 100 litros por ano. A República Tcheca é o país com maior consumo per capita anual, com cerca de 140 litros de cerveja por pessoa. Aqui vai outro link interessante sobre este assunto.

O acesso a diversas variedades de cerveja, e principalmente a preços que considero justos, é uma das maiores vantagens que tenho por morar nos EUA ao invés do Brasil, onde a oferta vem melhorando a cada ano, mas o preço cobrado por cervejas importadas torna o consumo impossível, o que impede que seja possível experimentarmos diversas marcas e tipos de cerveja no dia-a-dia. O surgimento de boas cervejarias de menor porte, como Baden Baden e Eisenbahn, minimiza este sofrimento, mas é inegável a diferença de qualidade entre as cervejas brasileiras e as européias, portanto ainda falta muito para o brasileiro neste sentido, o que é uma pena.

Há alguns anos que sou consumidor da Samuel Adams, que considero a principal cerveja entre aquelas de posicionamento médio, abaixo das premium, pois possui ótima qualidade e interessantes variações temáticas, conforma a estação do ano, experimentando sabores curiosos e oferecendo as cervejas em caixas mistas, facilitando o consumo e a experimentação. Atualmente eles estão com o tema da colheita e Octoberfest, com cervejas um pouco mais encorpadas, e logo chegarão com as pesadas cervejas de inverno. Nunca gostei de cervejas simpels e aguadas, e logo que cheguei nos EUA comecei a beber a Yuengling, boa cerveja altamente superior às oferecidas pelas gigantes, mas com preço apenas um pouco superior, portanto uma boa opção para o consumo mais frequente. É a cervejaria mais antiga dos EUA, fundada em 1829, no Estado da Pensilvânia.

Com o passar do tempo, comecei a experimentar diversas brejas, seja da América ou Europa, e aqui em casa fazemos experiências quase toda semana, e mantemos nosso estoque com novidades ao lado das nossas favoritas. Misturo tradicionais pilsens européias como Pilsner Urquell e Grolsch com as quase milenares e diferenciadas belgas Leffe e Hoegaarden, juntamente às sempre deliciosas inglesas Bass, Newcastle e a cremosíssima Boddingtons, uma das minhas favoritas e que quase sempre tenho na geladeira.

Por fim, devo ressaltar que, mesmo levando grande vantagem noa cesso a estas maravilhosas cervejas, nenhum lugar do mundo possui o maravilhoso chopp do Brasil, que me faz grande falta por aqui, especialmente nos intermináveis dias de calor do severo verão americano. Aproveitei para tomar muito chopp na minha última visita ao Brasil, para as festas de final de ano, mas já estou com saudade desta maravilha tupiniquim. Recomendo que visitem o site Brejas, criado por amantes da bebida na cidade de Campinas, que oferece uma enciclopédia sobre diversas cervejas, com avaliações de especialistas e consumidores, inclusive eu, que me cadastrei recentemente para avaliar algumas das minhas favoritas.

KenKen, um passatempo superinteligente

KenKen no formato 5x5

KenKen no formato 5x5 - KenKen.com

Hoje vou falar do KenKen, um passatempo muito divertido, que requer concentração e raciocínio, com diversos níveis que permitem a prática por pessoas de qualquer idade, desde que possuam os conhecimentos básicos das operações matemáticas (adição, subtração, multiplicação e divisão). Descobrimos o KenKen por acaso, quando a Chris comprou um livro deste interessante jogo para o Rafa, há um ano atrás. Meu filho, que adora qualquer tipo de jogo ou desafio para a mente, ficou viciado nele, e a partir de então sempre procuro este jogo na Internet.

O KenKen é um parente do Sudoku, outro excelente jogo, e ambos oferecem diversos níveis, podendo ser solucionados em poucos minutos ou muitas horas. Aqui em casa nós sempre praticamos o Sudoku, que está em todos os jornais, mas muitas vezes ficamos irritados quando enfrentamos um daqueles Sudokus impossíveis, que te obrigam a “chutar” ou fazer uma iteração, para chegar na resposta.

Os dois jogos foram inventados no Japão, e vêm sendo difundidos pelo mundo nos últimos anos, mas o KenKen ainda não conseguiu o mesmo destaque do celebrado Sudoku, o que é uma pena. Para os interessados, recomendo dois sites que oferecem a possibilidade de jogar KenKen online, ou de imprimir os jogos para preencher com lápis. Um é o KenKen oficial, e o outro, que descobri ao pesquisar para este post, está no site Grandejogo.com.

O conceito do KenKen é simples. Para preencher a tabela, devemos colocar os números que formam cada uma das operações matemáticas, cujo resultado e tipo de operação está descrito nos quadros. No exemplo da figura acima, que refere-se a um jogo de 5×5, cada linha e coluna deverá conter os números 1, 2, 3, 4 e 5.

Espero que gostem do KenKen !

%d bloggers like this: