Arquivos de sites

Previsões futebolísticas – Campeonato Brasileiro 2012

Favoritos ao título do Brasileirão 2012 – Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com

Depois de meses de sofrimento, sendo obrigados a suportar os fraquíssimos campeonatos estaduais, chega a hora do futebol brasileiro começar pra valer, com o melhor campeonato de futebol do mundo, o Brasileirão. Esta será a décima temporada no formato de pontos corridos, sistema que ainda sofre críticas e na minha opinião ainda não está totalmente seguro, pois a cada ano aparecem novos interessados em acabar com esta fórmula, adotada em 99% das ligas nacionais mundo afora, para a adoção de finais.

Meus leitores sabem o quanto eu adoro playoffs e mata-matas, mas acho que o sistema de pontos corridos é o mais correto para ligas nacionais. Pra ser sincero, sou obrigado a dizer que até aceitaria a disputa de uma final, mas apenas com a classificação dos dois melhores colocados, e com vantagem para o de melhor campanha, dependendo da diferença de pontos existente. Se acabarem empatados em ponto, nenhuma vantagem (Odeio ver um time ser campeão por maior número de vitórias ou melhor saldo de gols. Para mim isto não faz nenhum sentido). Caso a diferença de pontos seja pequena (até 3 pontos, por exemplo), o primeiro teria a vantagem do empate. Em caso de diferença superior a 3 pontos, Ainda teria um saldo de gols, tipo 1 gol para 4/5 pontos de vantagem, 2 gols para 6/7, etc. E para finalizar, a partida única seria disputada no campo do primeiro colocado. Acabei de inventar esta “final”, portanto acho que deixar como está, nos pontos corridos, seria o mais fácil. Torço para que o calendário se estenda em mais uma data, pelo menos para uma partida desempate, em caso de pontuação igual. Algumas (poucas) ligas prevêem isso e acho bastante razoável.

A mais equilibrada liga nacional do planeta começa com a habitual lista de 3 a 5 favoritos, mais meia dúzia de “grandes” clubes que podem surpreender, e os tradicionais candidatos à degola. É praticamente unânime entre analistas e torcedores que o Santos é o melhor time do Brasil, logo à frente de Corinthians e Fluminense. Estes times são os principais candidatos ao título, e o Santos só não fica num nível acima devido à incompetência da CBF, que, apesar de ter melhorado muito neste aspecto, ainda (des)organiza o calendário, permitindo que se disputem rodadas do Brasileirão em datas FIFA, o que desfalca os principais times nacionais. Neste ano, os principais prejudicados serão Santos, São Paulo e Internacional, que cederão craques para amistosos e Jogos Olímpicos. O Corinthians, com seu time de jogadores nota 7, se beneficiará pelo elenco homogêneo e sem desfalques, o que o coloca ao lado do Santos nesta disputa elo caneco.

Como fiz em 2011, aqui vão meus palpites para a competição, primeiramente dividindo os clubes por nível de aspiração:

1) Título: Corinthians, Santos, Fluminense e Vasco da Gama

2) Libertadores: São Paulo, Internacional, Grêmio e Atlético-MG

3) Sulamericana: Palmeiras, Botafogo, Flamengo, Coritiba, Figueirense, Bahia e Cruzeiro

4) Evitar rebaixamento: Sport, Atlético-GO, Ponte Preta, Portuguesa e Náutico

Mais uma vez é com imensa tristeza que meu palpite é de que o Corinthians seja campeão. A razão está no fato de que esta competição premia a regularidade e alguns treinadores, como Muricy Ramalho e Tite, sabem conduzir uma equipe durante a maratona de jogos, extraindo o máximo dos jogadores e pressionando-os para jogar com vontade, o que geralmente resulta em vitória, na maioria das vezes magra e feia, mas que valem os mesmos três pontos de uma goleada. Outra grande vantagem está no fato de que o time é o único que sempre atua com casa cheia, e forte pressão da torcida, o que também costuma resultar em excelente  percentual de vitórias em casa.

Estarei de volta ao Brasil e pretendo fazer a minha parte, ajudando meu Tricolor nas partidas no Morumbi, e quem sabe consigo ver o tetra, já que quando saí do Brasil, em 2008, foi assim que deixei meu querido time.

Anúncios

Libertadores 2012 – Previsão para o mata-mata

Jogadores do Fluminense comemoram gol contra o Arsenal (ARG) - Ricardo Ayres/Photocamera

A fase de grupos da Libertadores 2012 encerrou-se na última quinta-feira, e a partir desta semana teremos os dois primeiros jogos da fase final, quando a competição realmente começa a pegar fogo e emocionar. Já havia feito minha tradicional previsão antes do início da competição, neste post de janeiro, e gostei dos meus palpites, que em sua maioria se concretizaram. Com exceção do sofrível grupo 3, que na ocasião já me deixara “cabreiro” devido à fragilidade dos clubes, creio que fui bem nos meus prognósticos, especialmente com a escolha do Fluminense como o meu candidato ao título. O time carioca honrou minha confiança e encerrou a primeira fase com a melhor campanha, seguido de perto pelos demais favoritos Corinthians, Santos e Boca Juniors. Estes quatro aparecem bem acima dos outros, e são os principais cotados por diversas casas de apostas britânicas. Logo atrás vemos o Universidad de Chile e o Vélez Sarsfield. Vasco da Gama fez boa campanha em grupo difícil, e pode muito bem surpreender e chegar longe.

A grande decepção desta edição ficou por conta de cinco clubes tradicionais em Libertadores, liderados pelos dois uruguaios que lideram os rankings em quase todas as estatísticas da competição, Nacional e Peñarol, este último o atual vice-campeão, que ao lado de Flamengo, Guadalajara e Universidad Católica, apresentaram fraco futebol e amargaram a rabeira em seus respectivos grupos. Os mexicanos do Chivas merecem o fundo do poço, especialmente pelo ridícula goleada (5×0) sofrida frente ao Deportivo Quito na última rodada.

Chegou a hora de analisar os confrontos e fazer minhas previsões. Quero ressaltar que não assisti NENHUM jogo desta competição em 2012, e me baseio exclusivamente pelo que li, ouvi e pelos poucos melhores momentos que pude ver com meus próprios olhos. E vou utilizar os cruzamentos conforme a tabela atual, que pode ser alterada no caso de haver um excesso de clubes de um mesmo país nas quartas ou semifinal. Como de costume, os vencedores estão em negrito.

Quartas:

Fluminense x Boca Juniors

Universidad de Chile x Cruz Azul

Corinthians x Vasco da Gama

Santos x Vélez Sarsfield

Final:

Boca Juniors x Santos

Da mesma forma que chutei (meio direcionado) em janeiro, repito o bico desta vez. Acho que o título pode ficar entre qualquer um dos quatro favoritos, sendo que meu ranking vem nesta ordem (Peixe, Boca, Flu e Gambá). Mas não sei se o peixe terá pegada pra superar o Boca, mesmo sendo superior tecnicamente, em uma final, principalmente fora da Vila Belmiro.

De qualquer forma, desejo sorte para os brasileiros nesta reta final.

Previsões esportivas – Libertadores 2012

Taça Libertadores - Conmebol.com

A Libertadores 2012 começa nesta semana, com o início das disputas da fase preliminar, pré-Libertadores, ou primeira fase, conforme a preferência de cada um. Ao contrário do que ocorreu na maioria dos últimos anos, os confrontos desta fase em 2012 são bastante interessantes, e de difícil previsão em alguns casos. Os representantes brasileiros desta fase serão o Flamengo e o Internacional, que enfrentam Real Potosí e Once Caldas respectivamente, em paradas desagradáveis, pois os bolivianos jogam nas nuvens (se bobear acima delas) a 4 mil metros de altitude, e os colombianos sempre complicam com sua retranca e decidem a vaga em casa, e já foram campeões em 2004, batendo forças como o Santos, o São Paulo e o Boca Juniors na reta final.

Apesar disso, colocarei minhas fichas em ambos brasileiros e creio que os seguintes clubes avancem para a fase de grupos:

Arsenal, Flamengo, Peñarol, Libertad, Internacional e Tigres.

Na fase de grupos, meus palpites para os dois classificados nos oito grupos será o seguinte (sem ordem dos classificados):

1 – Santos e Internacional

2 – Flamengo e Olimpia

3 – Junior e Tigres

4 – Boca Juniors e Fluminense

5 – Vasco e Nacional (URU)

6 – Corinthians e Cruz Azul

7 – Vélez e Guadalajara

8 – Universidad de Chile e Peñarol

Com exceção do fraquíssimo grupo 3, onde só tem porcaria, os demais grupos são bastante equilibrados, com pelo menos três fortes candidatos na maioria dos grupos, e a disputa será mais interessante do que nas últimas temporadas. Isso deve-se ao fato da Conmebol ter alterado a distribuição dos cabeças-de-chave, que antes eram representados pelos clubes brasileiros e argentinos, que agora acabaram misturando-se com o restante dos times. Gostei desta iniciativa, que tornará a fase de grupos mais interessante, ao contrário do que vem ocorrendo na Champions League, que tem sido insossa nesta etapa recentemente.

O Brasil vem de conquista nas duas últimas edições, que por coincidência não contaram com a participação da maior pedra no sapato dos clubes tupiniquins, o desagradável argentino Boca Juniors, que passou por uma má fase que infelizmente encerrou-se no final de 2011. Os hermanos chegam como um dos grandes favoritos à conquista do caneco, o que seria o sétimo título do clube, levando a um empate na liderança ao lado do também argentino Independiente, que dominou os anos 70. Alguns sites de apostas já mostram as cotações para a Libertadores, como podemos ver neste link, e os favoritos são Boca, Corinthians, Santos e Fluminense.

Não tenho a menor idéia de como está jogando o Boca, pois não assisto ou leio sobre o time há anos, mas acho que certamente serão um dos candidatos. Como já disse inúmeras vezes no ano passado, acho o Corinthians um clone do São Paulo do Muricy (2006-2009), um time bastante regular e consistente em todos os setores, mas com pouca pegada para competições tipo mata-mata. Não creio que 2012 será o ano da tão sonhada conquista da Libertadores para a gambazada. O Santos é indiscutivelmente o time com maior poder de decisão, mas sofre com a dificuldade tática para confrontos diretos de seu treinador, o mesmo Muricy que sempre fracassou com meu Tricolor neste formato. Não creio que repita o título e torne-se o maior vencedor do Brasil, com quatro conquistas. Sempre acabo caindo na mão do Internacional nas minhas previsões, e não farei isto desta vez. Acho que o time tem uma defesa fraca e depende de veteranos que têm mais nome do que bola (Índio, Guiñazu, etc.). O ataque será espetacular com Leandro Damião e o melhor jogador do São Paulo nos últimos anos, Dagoberto, uma imensa perda para meu time nesse ano.

Gosto do mix dos talentos do Fluminense com o estilo agressivo de Abel Braga, e meu palpite vai para as Laranjeiras como o destino da Libertadores 2012. Para alegria do meu amigo Augusto Mesquita, que enfim poderá agradecer a João Paulo II pela conquista da América.

Só para não perder o hábito de relatar a incompetência destas entidades que lamentavelmente comandam o futebol no continente, acho um absurdo que a Conmebol tenha um website tão ruim como o que pode ser visto no link do início do post, e ainda mais que não exista uma versão em português para o conteúdo do mesmo. É uma vergonha. A página da UEFA, por exemplo, é traduzida em doze idiomas. Parecido, né ? 😦

Retrospectiva 2011 – Futebol Brasileiro

Ronaldinho após golaço contra o México - Mowa Press

O ano de 2011 manteve a recente tendência do futebol brasileiro, e mais uma vez apresentou resultados e produção medíocre, algo preocupante para o “país do futebol”. A seleção principal continuou apresentando resultados pífios sob comando do fraco Mano Menezes, a seleção feminina jogou muito mal na Copa do Mundo e, apesar de não valer nada, os “catados” que foram para Guadalajara disputar o Pan também deram vexame. O lado positivo ficou para as seleções de base, onde a sub-17 chegou na semifinal do mundial, e a sub-20 retomou a tradição vitoriosa do Brasil com a conquista do penta, na vitória emocionante sobre Portugal. Como previ neste post de julho, o Brasil caiu pelas tabelas no Ranking da FIFA, batendo no sétimo posto no mês de setembro, e encerrando o ano na sexta posição. Sem competições oficiais pela frente nos próximos dois anos e meio, duvido que consigamos nos manter entre os dez primeiros no futuro.

O futebol apresentado pelos clubes também continuaram em baixa durante 2011. Logo de cara atingimos novo recorde negativo, com a eliminação de um clube brasileiro na fase pré-Libertadores, quando o Corinthians perdeu para o “forte” Tolima. Este fiasco acabou ajudando o clube, pois apressou a saída dos dinossauros Roberto Carlos e Ronaldo, que vinham prejudicando o time com muita fama e pouca bola. Os demais brasileiros na Libertadores também foram muito irregulares, e tivemos apenas o Cruzeiro com bom desempenho na primeira fase. Santos e Fluminense penaram e quase caíram fora no começo, e a troca de treinador (Muricy Ramalho) acabou por selar o futuro de ambas equipes na competição. O Peixe conseguiu acertar a defesa nas mãos de Muricy e, aos trancos e barrancos, chegou ao terceiro título após quase 40 anos. Mesmo com o título mais importante do continente, considero o Santos o segundo melhor time brasileiro em 2011, atrás do surpreendente Vasco da Gama, que renasceu das cinzas com resultados excelentes durante todo o ano. O clube acertou o time durante o estadual, conseguiu o reforço de um dos maiores ídolos do clube, Juninho, durante o primeiro semestre e conquistou merecidamente a Copa do Brasil. No Brasileiro, manteve-se na cola do eventual campeão (Corinthians) durante todo o campeonato, e caso fosse o campeão seria tão merecido quanto o rival de São Paulo. Ainda foi o único brasileiro a representar com dignidade as cores nacionais na insossa Sul-Americana, caindo na semifinal frente o eventual campeão, o Universidad de Chile. Meu terceiro colocado no ranking dos clubes brasileiros de 2011 é o campeão nacional, Corinthians, que apesar do fiasco do início do ano, recuperou-se com o vice-campeonato estadual e o título nacional, com futebol feio mas altamente competitivo (muito parecido com aquele apresentado pelo São Paulo no tricampeonato 2006-2008) e liderando a competição por 2/3 das rodadas.

Voltando à seleção, continuamos na draga que nos coloca mos desde 2010, com uma eliminação ridícula na Copa América, onde ganhamos apenas um dos quatro jogos disputados, e fomos eliminados numa vergonhosa disputa de pênaltis frente o Paraguai, quando os brasileiros erraram as três cobranças executadas. Apesar de perdermos apenas duas das 16 partidas do ano, contra as fortes França e Alemanha como visitante, e termos vencido nove jogos, uma análise dos resultados e, principalmente dos adversários enfrentados, gera preocupação, pois ganhamos e empatamos contra timecos, e muitos dos jogos foram de pouca ou nenhuma relevância para o desenvolvimento de um time nesta fase inicial de preparação para a Copa do Mundo de 2014. Meu destaque ficou para a vitória sobre o México, em outubro, quando jogamos na casa deste adversário que recentemente nos dá bastante trabalho, e enfrentamos imensas dificuldades como o gol contra no comecinho do horrível zagueiro David Luiz, e ainda teve um pênalti contra no primeiro tempo, quando para piorar sofreu a expulsão de Daniel Alves. Quando tudo parecia caminhar para um desastre, o goleiro Jefferson defendeu a cobrança e o Brasil, com um a menos, obteve a virada com dois golaços, de Ronaldinho Gaúcho e Marcelo. Foi a melhor atuação da seleção sob comando de Mano desde que assumiu o time.

Para finalizar, minha maior tristeza em relação à seleção está no fato de que Mano será o comandante do time nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. Acho lamentável que o competente Ney Franco tenha que abrir espaço para Mano, pois ele comandou com maestria o Brasil no Sul-Americano e no Mundial sub-20, especialmente neste último, quando por incompetência de Mano e da CBF, atuamos sem Lucas e Neymar, desnecessariamente convocados para a Copa América. O principal trunfo do Brasil está no fato de que nossos arquirivais, e atuais bicampeões olímpicos, argentinos não conseguiram a vaga para Londres, e pode ser que a tão sonhada medalha de ouro venha para o Brasil em 2012.

Previsões futebolísticas – Mundial de Clubes FIFA 2011

Os favoritos do Barcelona, em uma das inúmeras comemorações recentes (AFP)

A edição de 2011 do Mundial de Clubes da FIFA teve início hoje, com o jogo pré-classificatório entre o campeão japonês (Kashiwa Reysol) e o representante da inexpressiva Confederação da Oceania (Auckland City). O time da casa venceu por 2×0, liderado pelo competente técnico Nelsinho Baptista e pelos bons meio-campistas brasileiros Jorge Wagner e Leandro Domingues. O time acabou de conquistar o título nacional e chega com embalo para este torneio, e pode ser uma surpresa, semelhante ao Mazembe em 2010, que aprontou para cima do Internacional, num dos maiores vexames da história do futebol brasileiro.

Após dois anos de disputa nos Emirados Árabes, o torneio retorna ao Japão, palco das primeiras edições deste novo formato, que teve início em 2005, quando meu querido São Paulo superou o favorito Liverpool por 1×0 numa épica, e sofrida, partida em que foi amplamente dominado mas defendeu-se com extrema maestria durante os 90 minutos. O Brasil repetiu o feito com outra zebra em 2006, quando o Internacional surpreendeu o favoritíssimo Barcelona pelos mesmos 1×0, mas desde então os europeus vêm atropelando os rivais sul-americanos. A esperança da região está no talento da garotada do Santos, que chega confiante após o sucesso do primeiro semestre, e algumas boas atuações esporádicas durante a fase final do Brasileirão. A equipe da Baixada tornou-se mais competitiva e forte defensivamente com o retranqueiro Muricy Ramalho, mas como era de se esperar perdeu um pouco da alegria e irreverência que encantou o Brasil sob comando de Dorival Junior.

Neymar consolidou-se como craque em 2011, com atuações espetaculares e maior regularidade, mas o Peixe ainda sofre com os meio-campistas Paulo Henrique Ganso e Elano, que apresentaram o oposto em 2011, com altos e (mais) baixos e não permitiram que o time desenvolvesse uma boa sequência de resultados. O Santos enfrenta o vencedor de Kashiwa e os mexicanos do Monterrey, campeões da CONCACAF, e apesar de favoritos devem se cuidar, pois ambos adversários serão perigosos. Se fosse santista torceria pelos mexicanos, pois creio que serão adversários mais fáceis pela forma de jogar e tradicional fraqueza defensiva dos aztecas.

O Barcelona é o papa-tudo do futebol mundial nos últimos anos, e na minha opinião disparado como favorito a este título. Apesar de que torcerei pelo Santos, acho muito difícil que os brasileiros superem os catalães, que estão jogando menos do que em 2010, mas mesmo assim apresentam-se num nível muito acima de qualquer rival, inclusive do Real Madrid, que vêm nadando de braçada nesta temporada e poderá provar ser o melhor time do mundo no Superclásico deste sábado, pelo Campeonato Espanhol. Será uma partida crucial para o Barça, pois poderá elevar ou abater a equipe para o torneio do Japão, além de que obrigará o time a fazer uma viagem bastante apertada para o Oriente. Seu adversário na semi-final será o vencedor do confronto entre os representantes da África (Espérance da Tunísia) e Ásia (Al-Sadd do Qatar). Aposto nos africanos, que serão provavelmente goleados pelo Barça.

Meus palpites para os jogos:

Kashiwa 2×1 Monterrey

Espérance 2×1 Al-Sadd

Santos 1×0 Kashiwa

Barcelona 4×0 Espérance

Barcelona 2×1 Santos

Infelizmente não poderei assistir ao jogo ao vivo, pois estarei em Washington no dia 18 de dezembro, mas vou gravar e tentar acompanhar sem saber o resultado, e quem sabe comemorar o retorno dos títulos mundiais para um clube brasileiro, no tricampeonato do Santos.

%d bloggers like this: