Category Archives: Turismo

Sumiço

Voltei. Após quase um mês desaparecido do meu querido blog, encontrei um tempinho para esta prazerosa atividade. E o pior é que neste período aconteceram inúmeros fatos que normalmente seriam tratados com destaque aqui no blog, mas que infelizmente não pude apresentar.

Desde minha última aparição em 17 de junho, viajei para Orlando (de carro, totalizando mais de 2,5 mil km em 8 dias), Washington e Virginia Beach, arrumei um novo escritório provisório durante o Summer aqui em Darden, participando de diversas palestras, almoços, coquetéis, reuniões e conference calls, e tentei acompanhar como pude as competições esportivas e acontecimentos mundiais no meio disso tudo. Não pude dar a merecida atenção para nossa hóspede que está prestes a retornar ao Brasil (minha sogra), e provavelmente acontecerá o mesmo com outra que chega na próxima segunda-feira (minha mãe).

Perdi a oportunidade de oferecer minhas magníficas previsões para a Copa América e o Mundial Feminino. Após os jogos desta noite, que encerram a primeira fase, darei meus pitacos sobre a fraquíssima competição sulamericana, mas no caso da competição feminina já estamos coma  final definida. Creio que os EUA vençam o Japão com certa facilidade. Meu palpite original seria de título para as anfitriãs (Alemanha), alcançando o tricampeonato. Pouco assisti a partida entre Brasil e EUA, por estar na estrada, mas acompanhei pela ESPN no BlackBerry e, infelizmente, não me surpreendi com o resultado, pois as brasileiras sempre amarelam contra as ianques.

O ponto curioso foi comparar os comentários nos dois países, completamente contraditórios. Por aqui a indignação com a arbitragem foi muito grande, e no Brasil a impressão foi de que nada de anormal ocorreu. Até agora não entendi a repetição da cobrança do pênalti do Brasil (muito duvidoso, mas que eu provavelmente marcaria, só que não expulsaria a defensora). As imagens que assisti não mostram a longa sequência até a decisão da juíza, mas estranho pois não há reação dajuíza ou da bandeirinha, que seguem normalmente sem fazer nada por vários segundos, e repentinamente começa a confusão com o cancelamento da cobrança. Desconfiando muito da FIFA, como de costume, acho que alguém deu ordem pra voltar no ouvido da juíza, para trazer emoção ao jogo. A competição vinha gerando relativamente pouca mídia e este duelo de titãs precisava de um pouco de emoção.

Meus palpites para Wimbledon foram bons, mesmos em acertar nenhum dos vencedores. Acertei as duas finalistas do feminino, mas apostei em Sharapova, e no masculino achei que Nadal e Djokovic cairiam na semi, com título de Federer, que por incrível que pareça fez uma partida quase perfeita conra o francês Tsonga, mas perdeu em 5 sets nas quartas. Foi um excelente torneio nas duas chaves, confirmando a superioridade de Nole sobre Rafa, de forma parecida com a que o espanho possui contra Federer, pois o jogo é extremamente equilibrado, mas os pontos decisivos sempre acabam com o sérvio, que merecidamente atingiu a liderança do ranking mundial, posto que deverá manter por um bom tempo (acho que no mínimo até março de 2012), devido à relativa falta de pontos para defender no restante da temporada. Quem corre risco de perder posição é Federer, que pouco pontuou em 2011 e defende muitos pontos até dezembro, especialmente o título da ATP Finals em Londres.

Também gostei dos meus pitacos (na verdade chutes) para  Mundial Sub-17. Acertei três dos quatro semifinalistas, mas errei os finalistas, pois Brasil e Alemanha foram derrotados na semi e fizeram um (suposto) jogaço na decisão do terceiro lugar. Os mexicanos aparentemente mereceram o bicampeonato, levando a torcida da casa à loucura e arrebatando praticamente todos os prêmios da FIFA.

Não assisti a final da Libertadores, mas parabenizo o Santos pela conquista merecida. E Muricy Ramalho finalmente conquistou a Libertadores ! Para mim sua chegada ao Santos foi perfeita para ambos, pois permitiu que seu estilo feio e retranqueiro se juntasse à leveza e o talento dos craques da equipe, o que levou o time a superar os adversários com o tradicional sistema 1×0 do técnico. A falta de talentos ofensivos não permitiu que o mesmo ocorresse na passagem de Muricy pelo meu Tricolor, pois na hora do aperto em mata-matas, faltava o pequeno detalhe do gol. Quando pude acompanhar os lances e notícias da decisão, percebi que o rapaz que causou a briga e apanhou dos uruguaios é um amigo meu, Éric. Fiquei triste pois o considero um cara legal, mas que foi muito infeliz ao provocar os jogadores naquele momento de raiva. Além do mais, caso tenha dito “Sou Tri !!!”, deveria saber que os uruguaios são pentacampeões da Libertadores.

Prometo retornar nos próximos dias com força total, comentando a excelente viagem a Orlando, a lamentável situação que paralisou a NBA, a World Series de Poker, e qualquer novo assunto que mereça destaque por aqui.

Anúncios

Considerações adicionais sobre a viagem ao Brasil

Campo de Futebol - Sociedade Amigos do Jardim Acapulco (SAJA) - http://www.saja.com.br

No meu post de 27 de dezembro, descrevi as experiências ocorridas nos primeiros dez dias que estive em São Paulo, após um ano e meio distante da cidade, dos familiares e dos amigos. Fiquei de 26 de dezembro a 5 de janeiro no Guarujá, quando retornei à capital até o dia 11, quando voltei para minha atual residência em Charlottesville, na Virginia. Farei agora um relato do que fiz, vi e senti neste restante das minhas férias.

Por sorte fui logo após o Natal e consegui ir à praia com a família nas manhãs de 27 e 28 de dezembro, aproveitando para tomar água de côco, rever amigos, levar meus filhos ao mar e passear pela areia com minha esposa, coisa que não fazia há muito tempo, pois quando estivemos na praia de Outer Banks, na Carolina do Norte em maio, o mar estava muito gelado e tive que partir no meio das férias para trabalhar em Las Vegas, e não pude aproveitar da forma que pretendia a Beach Week, junto com meus amigos de Darden, em comemoração pela formatura. Entre o meio-dia de 29 de dezembro e 4 de janeiro, a chuva praticamente não deu trégua. Oscilou entre garoa e chuva torrencial durante todo este tempo, frustrando a todos e impedindo nossa ida à praia. Como não haviam raios, o jeito era pular na piscina com as crianças e ficar nadando e brincando, ignorando a chuva e a falta de sol.

Mesmo com pouca gente pelo Jardim Acapulco entre 27 e 29 de dezembro, consegui jogar duas ótimas partidas de futebol na SAJA, ao lado de figuras tradicionais do condomínio como Dorival e Fernando, os irmão Joca e Cheché, o incansável Bill e uma molecada boa de bola, além de Dodô, o Artilheiro dos Gols Bonitos, atualmente na Lusa. Joguei uma contra e outra a favor dele, e conversamos bastante nos dois jogos. Ganhamos no primeiro dia por 2 gols, e perdemos no segundo por 1 gol, em dois jogos que valeram a pena e permitiram que eu resgatasse minha moral dentro do clube, já que muita gente já tinha se esquecido ou jamais tinha visto minhas atuações nos impecáveis gramados da SAJA.

Recebemos visitas maravilhosas durante os dias no Guarujá, e especialmente no Réveillon, quando como de costume, comemos como reis e acabei engordando muitos quilos (Graças a Deus já consegui perder boa parte deles), com iguarias da Mariza Doces e Alice Quindins, além dos muitos panettones e doces que minha mãe e sua equipe produziam diariamente. E não podia faltar o lubrificante, que alternei entre Rum (Mojitos e Piña Colada), Cerveja, Cachaça e Tequila, que decidi consumir na noite de virada até acabar com o estoque do meu pai, com Tequila Sunrise, que apresentei aos amigos Silas e Cristina, que aprovaram com alegria.

Outros acontecimentos marcantes foram minha decisão de enfrentar fila para jogar na Mega Sena da Virada, na esperança de faturar a bolada de R$200 milhões (fiz um jogo de 8 números e acertei ZERO), e a incansável maratona de pontinho que se realizou no cassino lá de casa, capitaneada pelos grandes tios Zé Lázaro e Nirvânia, com presença dos constante dos meus pais e participações esporádicas da Chris, minhas, do Juli e até da Elis. O destaque negativo ficou pela tranquilidade com que minha mãe e sogra mencionaram seus hábitos de adquirir e assistir filmes em DVDs piratas, que me obrigou a mais uma vez liderar uma mini-revolta, impedindo a apresentação de Inception, com Leonardo di Caprio.

Nos últimos dias, visitamos o aquário Acqua Mundo, um programa interessante para passar o tempo durante as tardes chuvosas, paramos para comer no tradicional Churros do Gordo, e na última noite nos aventuramos a sair do nosso “mundinho” do Jardim Acapulco para tomar um chopinho e comer bolinhos de carne no Rudy’s Bar, que sempre foi o programa favorito meu e da Chris na cidade.

Sobraram poucos mas agitados dias em São Paulo, que preenchi com atividades burocráticas como visita à minha nova agência bancária e ao cartório para autenticar assinaturas nas autorizações de viagens dos meus filhos e no documento do meu antigo Fit, que ficou com meu irmão mas ainda está em meu nome (e com 11 pontos devido a multas que ele “esqueceu” de passar para seu nome), visitas a restaurantes e bares que aprecio como Brasserie Victoria, Café Toscano, Rubayat e Bar Original, este último numa noite ao lado de grandes amigos. O final de semana ficou por conta dos amigos Adriana e Lysipo Gomide, e da mais nova integrante da família, a bebê Manuela, que ainda não conhecíamos. Passamos boa parte da sexta, sábado e domingo juntos, finalizando no almoço com polpettones que comprei no Jardim de Napoli. Devo registrar o melhor jantar da primeira parte da viagem, antes do Natal, quando fomos ao Il Sogno di Anarello, do mestre Giovanni Bruno, que nos recebeu com o carinho de sempre e serviu suas especialidades, como a maravilhosa e imensa salada, várias massas e o impecável cabrito.

Ainda comemoramos o aniversário da Luciene Lo Turco na pizzaria Speranza, numa divertida mesa com mais de 30 pessoas, tivemos um churrasco ao som de Rock Band/Guitar Hero na casa dos irmãos Luiz Eduardo e Bianca, e finalizei minha estada com chave de ouro, em mais uma edição do célebre Circo do Poker, na casa dos meus pais, com presença do mago Fabio Baiano, Crisinho e Dudu.

Minhas férias foram maravilhosas e espero poder repeti-las ainda este ano, e quem sabe poder receber alguns dos meus queridos amigos aqui nos EUA em 2011.

Prós e contras no retorno das férias no Brasil

Business Class da American - AA.com

Retornei das minhas maravilhosas férias no Brasil na última terça-feira, dia 11 de janeiro, após 25 dias ao lado da família e grandes amigos em São Paulo, Guarujá e até Barueri. Tive a oportunidade de rever muitos, conhecer alguns pela primeira vez (Manuela ;-)), e infelizmente deixar outros para a próxima vez :-(. O relato e curiosidades destas férias aparecerão em outros posts, pois este tratará apenas da epopéia que foi minha viagem de volta pra minha atual casa, em Charlottesville.

Meu vôo estava marcado para as 12h45, e saímos da casa da minha sogra no Pacaembu às 9h30. Mesmo sendo janeiro, e principalmente pelas fortíssimas chuvas da noite anterior, o trânsito na Marginal Tietê estava horrível, com muita lama e detritos na pista, que causou um certo atraso na chegada a Cumbica. A fila do check-in da American Airlines estava relativamente pequena e fiz tudo sem problemas. Demos a tradicional passada no lounge da American Express, para o banheiro, suco e lanchinho, onde desfrutei os últimos momentos com meus filhos, brincando nos computadores para crianças lá disponíveis.

Fomos para o portão de segurança e embarque quando faltava uma hora, na triste despedida da Crica e das crianças, que só chegarão aqui no dia 25 de janeiro. Passei direto pelo Free Shop (que por sinal está caríssimo, e sinceramente não tem nada que valha a pena financeiramente) e, para minha surpresa, estava sendo chamado pelas funcionárias no portão. A atendente disse que eu, juntamente com outros felizardos, havia sido encaminhado para a Business Class. Costumo dormir pouco e após perder mais de 20 quilos há alguns anos, não preciso de tanto espaço dentro da aeronave, mas o conforto da Business comparado com a Econômica é indiscutível, especialmente em aeronaves modernas como o 777 em que voei.

Os principais benefícios para mim foram as constantes ofertas de champanhe francesa e outras bebidas de qualidade pelos comissários, juntamente com o belíssimo almoço, com uma excelente salada seguida por um camarão à baiana. A outra vantagem foi o tamanho da TV e opções de entretenimento, com diversos filmes, seriados e games. Comecei assistindo Inception com leonardo Di Caprio mas achei complexo para o avião, especialmente com distrações simultâneas como o almoço e minha conversa paralela com meu vizinho, um brasileiro radicado há anos na California, que trabalha em uma empresa de tecnologia e passou a viagem dando explicações sobre as últimas ferramentas de gestão e serviço ao cliente disponíveis. Após a refeição sosseguei e assisti The Social Network e depois The Other Guys, um filme policial hilário, com Will Ferrell e Mark Wahlberg. Gostei muito dos dois filmes, o que impediu que eu pudesse cochilar um minuto sequer.

Snow at Dulles

Snow at Dulles - Curt Vainio / MWAA

Eu havia visto a previsão do tempo e sabia que nevaria na região de Washington, DC naquele dia, mas não imaginava que seria suficiente para causar muitos transtornos, atrasos e cancelamento de vôos. Mas infelizmente, após passar pela imigração e alfândega em Miami, fui obrigado a remarcar meu vôo para o dia seguinte, pois todos os vôos para o Norte do país estavam cancelados. Era o Snowpocalypse 2011. Nesta hora a viagem começou a virar e por um tempo foi só notícia desagradável. Com dezenas de vôos cancelados e milhares de turistas não programados, não havia espaço em nenhum hotel ao redor do aeroporto de Miami, e a empresa aérea não se responsabilizava ou oferecia ajuda, para o pagamento ou ao menos a reserva de hospedagem e transporte, pois problemas meteorológicos não são de sua responsabilidade. Por sorte minha esposa é muito inteligente e prestativa, e juntos ficamos tentando achar um hotel razoável, e foi isso que ela conseguiu.

Após mais de uma hora resolvendo isso, me dirigi para um hotel bem vagabundo chamado Airways Inn & Suites, mas ao menos teria uma cama e um teto. O quarto era bom e limpo, mas o chuveiro era um horror, e decidi que não tomaria banho naquele local. Fui obrigado a lavar-me na pia na quarta-feira e saí bem cedo para o aeroporto, para o caso de alguma nova surpresa desagradável. Meu vôo atrasou uma hora mas saiu sem problemas, e ao menos passei o tempo no lounge da American Airlines, lendo o Miami Herald e o Wall Street Journal, tomando um bom espresso.

Minha mala foi uma das últimas a chegar em Dulles e fez com que perdesse a van do meu hotel, o ótimo Crowne Plaza Dulles, onde meu carro estava estacionado desde o dia 15 de dezembro, mas quando cheguei lá consegui, com ajuda da gentil gerente, evitar o pagamento da diária anterior, que acabei não usando pois estava em Miami, peguei meu carro e em duas horas estava dentro de casa. Foram dois dias agitados e de muito pouco descanso, mas no final das contas valeu a experiência.

Blogueiro na mídia neste fim de semana

Francisco Pires e Mila Burns - Blog Planeta Brasil

Hoje venho fazer um pouquinho de auto-promoção, referente a duas aparições na mídia internacional, ambas fortuitas e curiosas. A primeira ocorreu poucas horas atrás, quando fui citado na coluna de Greg Garber, colunista sênior da ESPN.com, que está cobrindo o tênis nesta temporada. Ele fez um desafio para promover o US Open, que começa na próxima semana, pedindo que os leitores enviassem seus palpites para a chave feminina e masculina, listando os confrontos e vencedores entre as quartas-de-final e final. Não haverá premiação, e conforme ele os vencedores recebrão somente o reconhecimento e menção em uma coluna.

Quando a chave foi divulgada ontem à tarde, preparei meu palpite e, antes de enviar o e-mail para Greg, transcrevi e formatei de forma caprichada, no Excel, para que tivesse uma apresentação decente. Para minha surpresa, recebi um e-mail dele no BlackBerry, durante o jantar numa pizzaria. Ele dizia-se surpreso e contente com o e-mail que enviei, pelo capricho do mesmo, e gostaria de mais detalhes sobre mim, para publicar numa coluna para publicação hoje. Enviei alguns dados interessantes e curiosos sobre mim, que apareceram neste link.

A próxima aparição deve ocorrer amanhã à noite, mas infelizmente poderá ser acompanhada apenas pelos assinantes da TV Globo Internacional (TVGI) (que não é meu caso, pois não existem tantos brasileiros na minha região e minha fornecedora de TV a Cabo, a Comcast, não disponibiliza a TVGI na minha cidade). Será no programa Planeta Brasil, que é transmitido aos sábados, a partir das 22h40. Fiquei sabendo que minha entrevista será apresentada amanhã por Elton Martins, um amigo da Chris que mandou um recado pra ela no facebook, dizendo que me viu na chamada.

O Planeta Brasil é um programa que percorre os EUA, parando em diversas cidades e contando um pouco da história local, e associando tudo aos brasileiros que moram em cada um desses locais. Estiveram aqui em Charlottesville no final de junho, e chegaram até mim pela amizade entre a apresentadora Mila Burns e meu amigo Maurício Reis, meu colega aqui no MBA de Darden.

Mila e o cinegrafista Francisco Reis, o Chico, passaram uma manhã comigo visitando alguns lugares famosos da cidade, como o Monticello (casa/fazenda do Thomas Jefferson), o Downtown Mall e o Lawn, coração da University of Virginia e local onde as principais atividades acontecem. Para aqueles que puderem assistir, espero que gostem. Tenho certeza de que a edição será bem feita e que eles irão fazer com que eu pareça um artista de Hollywood. 🙂

%d bloggers like this: