Arquivos de sites

29 times lutando contra o tricampeonato do Miami Heat

 

LeBron James está preparado para conquistar seu tricampeonato pelo Miami Heat

A temporada 2013-2014 da NBA começa logo mais, com a partida entre o Indiana Pacers, um dos candidatos ao titulo, recebendo o fraquinho Orlando Magic. Em seguida teremos o jogo mais esperado da noite, quando os atuais bicampeões do Miami Heat recebem o forte Chicago Bulls, que terá o tão aguardado retorno do excelente, mas pipoqueiro, armador Derrick Rose, que não recuperou-se de uma lesão no joelho e nem sequer pisou em quadra na última temporada. A noite ainda terá o clássico de Los Angeles, entre Clippers e Lakers, num momento curioso e jamais visto na história da liga, quando a potência de roxo e amarelo está muito abaixo dos vizinhos, que chegam como um dos principais favoritos ao título da Conferência Oeste sob comando de Doc Rivers, que abandonou o Boston Celtics para tentar a sorte na Califórnia ao lado de Chris Paul, Blake Griffin e companhia.

A temporada promete um grande equilíbrio no topo, pois diversos postulantes ao lugar do Heat conseguiram reforçar-se de forma significativa, especialmente os Clippers, Brooklyn Nets e Houston Rockets, estes últimos com a chegada de superstars como Paul Pierce e Kevin Garnett nos Nets e Dwight Howard nos Rockets. Mas o Heat não ficou para trás, e trouxe bons coadjuvantes para dar apoio a LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh, com apostas de alto risco mas imenso potencial, especialmente nos casos do xarope do Michael Beasley e do jogador de cristal, Greg Oden.

Alguns fatos curiosos para este ano. O primeiro está na alteração do nome do time de New Orleans, que abriu mão do apelido de Hornets e terá o insosso apelido de Pelicans. Sorte do Charlotte Bobcats, que poderá retomar o nome que sua cidade tanto amava, e será novamente Charlotte Hornets na próxima temporada, talvez a primeira boa notícia para a franquia desde que Michael Jordan assumiu o controle do time há cerca de três anos. O segundo, e mais interessante, está na experiência de utilização de camisetas com mangas curtas por diversas equipes nesta temporada, após a boa aceitação do teste que foi feito com o Golden State Warriors no ano passado e será novamente repetido. E especula-se que todos os jogos do Natal e o All-Star Game sejam disputados com este tipo de camiseta, numa tentativa de popularizar e gerar muitas vendas para os amantes do esporte e da liga.

Aqui vão meus palpites para a classificação final das seis divisões, com os classificados aos playoffs em negrito:

Atlantic – Nets, Knicks, Raptors, Celtics e 76ers

Central – BullsPacers, Pistons, Cavaliers e Bucks

Southeast – HeatHawks, Wizards, Bobcats e Magic

Pacific – ClippersWarriors, Lakers, Kings e Suns

Northwest – ThunderTimberwolves, Blazers, Nuggets e Jazz

Southwest – Spurs, Rockets, Grizzlies, Mavericks e Pelicans

A maioria dos especialistas consultados pela ESPN e NBA acha que o Heat chega ao terceiro título seguido, levantando o tão querido Larry O’Brien Trophy. Eu concordo com eles, mas a briga será duríssima com Bulls e Pacers no Leste, e contra o sobrevivente de Spurs, Thunder, Clippers e Rockets no Oeste.

Boa temporada a todos os fãs da NBA, e Let’s Go Heat !!!!!!!!

Oba ! Hoje começam os playoffs da NBA

2012 NBA Playoffs Bracket

Que maravilha. O início dos playoffs da NBA, na tarde de hoje, dão início a um dos melhores dois meses do ano, para amantes do basquete e de competições esportivas. Teremos uma maratona de grandes disputas, que prometem ser muito equilibradas, e apesar de existirem alguns poucos favoritos ao título, acho que podemos ver zebras em quase todos os confrontos.

Antes de avaliar a temporada e os playoffs, preciso me parabenizar pela excelente previsão que fiz em dezembro, quando acertei 15 dos 16 times classificados para os playoffs, e quase todos na ordem correta. Meu erro ficou na troca do Jazz pelo Blazers, que deveriam fisgar esta classificação mas foram a equipe mais confusa e desorganizada da NBA, e desapontaram os fiéis fãs de Portland mais uma vez.

Como acontece todo ano, o destaque da temporada ficou por conta do San Antonio Spurs, que continua com seu jogo extremamente eficiente, nesta ano com um elenco muito forte e reservas com alto nível, o que permitiu ao técnico Gregg Popovich dar bastante descanso aos veteranos Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker, que chegam inteiros para a hora do “vamo vê”. Outras equipes que merecem destaque positivo foram o Chicago Bulls, que jogou sem a estrela Derrick Rose por metada da temporada, e ainda assim conquistou a melhor campanha da liga, e de times em grande crescimento como Indiana Pacers e Memphis Grizzlies, que podem aprontar nesta fase final. Os destaques negativos foram muitos, além do já mencionado Blazers, e passando pelo Orlando Magic e sua estrela mimada Dwight Howard, que operou a coluna e está fora dos playoffs e dos Jogos Olímpicos de Londres, e finalmente com o Charlotte Bobcats, que venceu apenas 7 partidas e atingiu a pior média de vitórias da história da NBA. Uma verdadeira vergonha para o time de Michael Jordan, que tem um futuro muito sombrio nas mãos incompetentes do maior jogador de todos os tempos.

Enquanto escrevo estas palavras, os Bulls já venceram o primeiro jogo frente ao Philadelphia 76ers, mas tiveram uma grande baixa, com uma contusão no joelho de Rose, que pode complicar o futuro do time caso o craque fique de molho por muito tempo. Meu Heat está destruindo o New York Knicks no segundo quarto, num jogo acirrado que está fazendo jus à melhor rivalidade (em termos de confusões) da NBA, especialmente pelos duelos do final dos anos 90, quando os Knicks eliminaram o Heat como zebra por três anos seguidos, sempre como visitantes, para minha imensa tristeza.

Disse em dezembro que Heat seria o campeão sobre o Thunder, mas estou com receio em relação ao vencedor do Oeste. Acho que o Heat chega na final, superando o Bulls (caso Rose esteja fora, creio que os Celtics sejam os vices do Leste), mas estou com palpite de que o sempre forte Los Angeles Lakers saia como campeão no Oeste, superando o favoritismo do Spurs e Thunder. É a mesma final que previ antes dos playoffs de 2011. Aqui vão meus palpites:

Conferência Leste:

First Round: Bulls 4×1 76ers, Heat 4×0 Knicks, Pacers 4×0 Magic, Celtics 4×2 Hawks

Conference Semifinals: Bulls 4×1 Celtics (Depende da presença de D.Rose), Heat 4×1 Pacers

Conference Finals: Heat 4×2 Bulls

Conferência Oeste:

First Round: Spurs 4×1 Jazz, Thunder 4×2 Mavericks, Lakers 4×2 Nuggets, Grizzlies 4×3 Clippers

Conference Semifinals: Spurs 4×2 Grizzlies, Lakers 4×2 Thunder

Conference Finals: Lakers 4×2 Spurs

NBA FinalsHeat 4×1 Lakers

Previsões esportivas – NBA 2011-2012

Chris Paul mudou a cara dos Clippers - Evan Gole/NBAE/Getty Images

É hoje ! Após muito sofrimento e a preocupante sensação de que não teríamos NBA neste ano, as partes chegaram a um acordo no final de novembro e, neste dia de Natal a nova temporada da NBA se inicia, com cinco excelentes partidas entre todos os principais concorrentes ao título, especialmente com o confronto entre os finalistas de 2011, meu querido Miami Heat e nosso algoz, o Dallas Mavericks, merecido campeão na final de junho.

Devido ao locaute deste ano e a nova realidade pós-acordo entre a liga e os jogadores, a fase de contratações não teve muito impacto, pois foi curta e muitos times mantiveram-se cautelosos para poder avaliar melhor sobre como encarar as novas regras. As exceções ficaram por conta do New Orleans Hornets e Los Angeles Lakers. Os Hornets ficaram sem dono no ano passado, e são propriedade da liga, algo inusitado que criou uma situação bizarra na semana passada, quando o time foi pressionado pelo super-armador Chris Paul para que encontrasse um parceiro para trocá-lo, e quando os Lakers entraram na jogada juntamente com o Houston Rockets, numa super-troca envolvendo quase dez jogadores, o chefão da NBA, David Stern, melou a negociação por considerá-la prejudicial ao Hornets, e em nome dos demais donos do time, preferiu esperar por uma oferta mais justa e beneficial ao time, onde eles receberiam jogadores mais novos e promissores, bem como a oportunidade de se livrar de contratos longos e danosos, somados a oportunos draft picks. Esta oferta apareceu dias depois, e por parte do azarão Los Angeles Clippers, o tradicional saco de pancadas da NBA, que é indiscutivelmente a pior franquia da história da liga, com míseras aparições em playoffs e constantemente à sombra do arqui-rival, o vizinho Lakers, principal equipe da NBA ano após ano.

A oferta do Clippers era impossível de ser negada, pois ofereceu bons jogadores jovens e com contratos que favorecem o time, além de bons draft picks para 2012, quando a safra de jogadores universitários promete ser a melhor dos últimos tempos. Em menos de uma semana, os Clippers passaram de um bando de promessas fracassadas a um dos favoritos ao título da Conferência Oeste, pois agora possuem um elenco completo, liderado pelo melhor armador da NBA (Paul), o espetacular ala Blake Griffin e ainda os recém-contratados Chauncey Billups e Caron Butler, veteranos de muito talento e que já provaram saber vencer em diversas equipes, e pela primeira vez na história esse time conseguiu a façanha de ultrapassar os Lakers, tanto no foco da mídia quanto na opinião pública.

Antes de dar minhas opiniões, listo boas análises e previsões que foram apresentadas nesta semana pelos principais órgãos de mídia dos EUA, como a ESPN e Sports Illustrated. O especialista em estatísticas da NBA, John Hollinger da ESPN, também apresentou boas previsões, inclusive com o número de vitórias para cada equipe, que pode ser encontrado nestes links, para times do Leste e Oeste. A NBA sempre foi uma liga com grande abismo entre os times que brigam por título e o “resto”, algo até aceitável pela própria natureza do esporte, onde apenas 5 jogam e os melhores jogadores têm grande impacto no resultado, algo que ocorre em nível muito menor em esportes como o futebol, por exemplo. O consenso para esta temporada é que existem três grandes candidatos ao título (Heat, Chicago Bulls e Oklahoma City Thunder), mais os Mavericks, que vem logo atrás como o quarto favorito ao troféu. Daí pra baixo aparecem diversos times fortes, mas que ainda sofrem com a falta de alguma coisa para conquistar o título, e neste grupo aparecem os Lakers, Clippers, New York Knicks, Boston Celtics e Memphis Grizzlies. Duvido que os finalistas das conferências não estejam entre essas equipes, e se tivesse que incluir um décimo time para fechar este grupo, seria o Indiana Pacers, que considero o azarão desta temporada, pois surpreendeu em 2011 e fez boas adições para 2012, especialmente com o ótimo ala David West.

Aqui vão meus palpites para a classificação final das seis divisões, com os classificados aos playoffs em negrito:

Atlantic – Knicks, Celtics, 76ers, Nets e Raptors

Central – Bulls, Pacers, Bucks, Pistons e Cavaliers

Southeast – Heat, Magic, Hawks, Wizards e Bobcats

Pacific – Clippers, Lakers, Warriors, Suns e Kings

Northwest – Thunder, Nuggets, Blazers, Jazz e Timberwolves

Southwest – Mavericks, Grizzlies, Spurs, Rockets e Hornets

Meus palpites para os playoffs apresentarão duas repetições nas finais de conferência, com o Heat batendo o Bulls novamente, só que com o Thunder destronando os Mavericks no Oeste. Torcerei muito para que meu palpite se concretize, com o segundo titulo do Heat, em 4×2 contra o Thunder na final.

NBA Midseason Report

San Antonio Spurs, o melhor da NBA no momento - Jed Jacobsohn via Getty Images

A temporada da NBA chega na sua metade nesta semana, e até o momento tem justificado todo o hype gerado pelos acontecimentos ocorridos no verão de 2010, quando grandes estrelas trocaram de time e um maior número de times colocaram-se em posição favorável na campanha pelo título da liga.

Meu badalado Miami Heat, do supertrio formado por Dwyane Wade, LeBron James e Chris Bosh, começou a temporada sem padrão de jogo e foi dado como um fracasso, quando estava com o recorde de 9 vitórias e 8 derrotas após o primeiro mês. Neste momento o trio decidiu tomar satisfação com o ainda inexperiente treinador Erik Spoelstra, e o time decolou, e desde então obteve 21 vitórias e apenas 3 derrotas, e provavelmente sofrerá mais uma hoje à noite, pois dificilmente terá James, que contundiu o tornozelo contra os LA Clippers, para o grande duelo contra o Chicago Bulls, no United Center. Os Bulls foram a segunda equipe que mais reforçou-se nesta temporada, e têm mostrado que as aquisições foram muito bem feitas. O reforço Carlos Boozer estreou apenas em dezembro, e dias depois Joakim Noah machucou-se, mas o time continua muito forte, especialmente pelas atuações brilhantes do armador Derrick Rose um dos favoritos ao MVP ao lado de Amare Stoudamire, o grande reforço do NY Knicks, que mostrou sinergia com seu ex-treinador Mike D’Antoni e está jogando um basquete explosivo em NY. Apesar de ter melhorado muito, os Knicks ainda nã têm elenco para competir com os melhores da liga, mas a esperança ainda existe em relação à aquisição do ala Carmelo Anthony, que está forçando a barra para ser trocado pelo Denver Nuggets, um ótimo time que sofre com a novela Carmelo (pior que a de Ronaldinho Gaúcho) e pode ser considerado o time mais decepcionante deste ano.

Meus favoritos para o título na previsão de outubro, os atuais campeões LA Lakers alternam partidas boas e ruins, e ainda não engrenaram, mas creio que poderão acertar-se sob comando do mestre Phil Jackson e terminam com a segunda melhor campanha da conferência Oeste, atrás do San Antonio Spurs, a melhor equipe desta primeira metade da temporada. Os Spurs são um time sem sal, mas que sempre apresentam uma eficiência incrível, e neste ano reforçaram o time com reservas de luxo para dar um descanso para suas principais estrelas, os veteranos Tim Duncan e Manu Ginobili. A decepção do Spurs fica por conta das fracas atuações do brasileiro Tiago Splitter, ídolo do Claudinho que eu sempre achei um jogador frouxo e chinelinho, um verdadeiro desperdício de porte físico e talento, mas sem a menor garra. Espero queimar minha língua com ele, mas sinceramente duvido. O Dallas Mavericks, o verdadeiro cavalo paraguaio da NBA, começou arrasador mas, como de costume, sofre com contusões e não demonstra pegada para atrapalhar nos playoffs. Mais uma vez, o monstro Dirk Nowitzki ficará pelo caminho.

Retornando à Conferência Leste, temos outros grandes candidatos já tradicionais, como Boston Celtics e Orlando Magic. O Big Three de 2007 virou Big Five em 2010, com a ascensão de Rajon Rondo (na minha opinião o melhor armador da NBA atualmente) e a chegada de um reforço de peso como Shaquille O’Neal. Os Celtics também sofrem com contusões nos seus velhinhos, mas também têm um grande banco de reservas e para mim são os favoritos ao título da NBA no momento, devido às grandes partidas que assisti. Os dirigentes do orlando continuam chacoalhando o time, e durante esta temporada fizeram duas mega-trocas, livrando-se de Vince Carter e Rashard Lewis e trazendo o perigoso Jason Richardson, o craque-maluco Gilbert Arenas e o líder do time dos últimos anos, o turco Hedo Turkoglu, para complementar o pivô Dwight Howard. O experimento funcionou e o time está de volta no topo da tabela, garantindo playoffs espetaculares no Leste neste ano.

A tragédia que tornou-se o Cleveland Cavaliers, do cretino Dan Gilbert, merece um parágrafo à parte. O time não existe, mesmo com um excelente treinador em Byron Scott, e ruma com força total para obter o primeiro pick no draft de 2011, pena que não existe um novo LeBron James desta vez.

Além do Nuggets e Cavs, a situação do Phoenix Suns, do meu amigo Artur, é desesperadora. O time é comandado por um empresário de jogador, o dono não sabe o que faz, e até Steve Nash está pirando (deu um pé na esposa um dia após o nascimento do seu filho) com o fracasso da franquia. Rifaram meio time, estão estacionados no mata-burro, num verdadeiro fim-de-feira no deserto.

%d bloggers like this: