Arquivos de sites

Agora é pra valer na Libertadores 2013

Um destes clubes será o campeão das Américas em 2013 – conmebol.com

A fase final da Copa Bridgestone Libertadores 2013 começa nesta semana, apesar dos clubes brasileiros estarem de folga das primeiras partidas devido ao amistoso da seleção contra o Chile, no Mineirão. Infelizmente o comando do futebol sul-americano continua sendo horrível, e esta fase de oitavas-de-final terá duração de 4 semanas, uma verdadeira piada que prejudicará, como tem ocorrido frequentemente, a competição, que será obrigada a dar a estúpida pausa antes da fase semifinal, que só será disputada em julho. A finalíssima desta edição está marcada para o dia 24 de julho.

Os clubes brasileiros atingiram um recorde neste ano, enviando seis representantes para a fase final do torneio. Os argentinos continuam caindo mas mesmo assim conseguiram colocar quatro representantes. As outras seis vagas ficaram pulverizadas entre diversos países, todos com um representante. A surpresa negativa ficou por conta do Chile, que recentemente vem apresentando bons desempenhos mas fracassou imensamente na competição em 2013.

Além do maior número de candidatos, os clubes brasileiros são os grandes favoritos ao título. E se bobear nem o ajuste da tabela, caso um país chegue com dois clubes na semifinal, impedirá a terceira final brasileira na competição, repetindo as edições de 2005 e 2006. Com exceção de um confronto logo de cara entre São Paulo e Atlético-MG, que eliminará um brasileiro e é o principal embate desta fase ao lado de Corinthians e Boca Juniors, os clubes do Brasil entram como favoritos em todas as disputas. Inclusive o Grêmio, que teoricamente enfrenta um adversário mais forte, o Independiente Santa Fé da Colômbia, mas creio que a colocação dos clubes neste cruzamento não reflete a realidade.

Aproveito para criticar mais uma vez (não dá pra evitar) a incompetência da Conmebol na organização dos torneios. O ranking dos clubes para esta fase de mata-mata não faz o menor sentido. Como sempre, deviam olhar para o formato da UEFA Champions League, onde os vencedores de grupos decidem em casa nas oitavas, mas a partir das quartas existe sorteio dos mandos. Além do que os confrontos são sempre definidos por sorteio, com restrições de bom senso que não ocorrem por aqui, como impedir que clubes que estavam no mesmo grupo na fase inicial se enfrentem nas oitavas (vide o confronto do meu Tricolor), e também impede o confronto entre clubes do mesmo país nesta fase.

Para não me alongar demais nas reclamações, aqui vão meus palpites para as oitavas, com os vencedores em negrito:

Atlético-MG x São Paulo
Palmeiras x Tijuana
Corinthians x Boca Juniors
Vélez Sarsfield x Newell´s Old Boys
Santa Fé x Grêmio
Nacional x Real Garcilaso
Olimpia x Tigre
Fluminense x Emelec

Minha única dúvida está no confronto entre Tricolor e Galo. Muito equilibrado. Acho que quem vencer passa pelo Porco em seguida, mas provavelmente perde do Corinthians na semifinal. Neste momento não darei palpite sobre a fase seguinte. Não quero fugir da reta, por isso deixarei meu pitaco sobre quem eu acho que fará a final do torneio, previsão que em nada me agrada. Hoje minha final seria entre Corinthians e Grêmio, sem favorito no momento.

Previsões futebolísticas – Campeonato Brasileiro 2012

Favoritos ao título do Brasileirão 2012 – Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com

Depois de meses de sofrimento, sendo obrigados a suportar os fraquíssimos campeonatos estaduais, chega a hora do futebol brasileiro começar pra valer, com o melhor campeonato de futebol do mundo, o Brasileirão. Esta será a décima temporada no formato de pontos corridos, sistema que ainda sofre críticas e na minha opinião ainda não está totalmente seguro, pois a cada ano aparecem novos interessados em acabar com esta fórmula, adotada em 99% das ligas nacionais mundo afora, para a adoção de finais.

Meus leitores sabem o quanto eu adoro playoffs e mata-matas, mas acho que o sistema de pontos corridos é o mais correto para ligas nacionais. Pra ser sincero, sou obrigado a dizer que até aceitaria a disputa de uma final, mas apenas com a classificação dos dois melhores colocados, e com vantagem para o de melhor campanha, dependendo da diferença de pontos existente. Se acabarem empatados em ponto, nenhuma vantagem (Odeio ver um time ser campeão por maior número de vitórias ou melhor saldo de gols. Para mim isto não faz nenhum sentido). Caso a diferença de pontos seja pequena (até 3 pontos, por exemplo), o primeiro teria a vantagem do empate. Em caso de diferença superior a 3 pontos, Ainda teria um saldo de gols, tipo 1 gol para 4/5 pontos de vantagem, 2 gols para 6/7, etc. E para finalizar, a partida única seria disputada no campo do primeiro colocado. Acabei de inventar esta “final”, portanto acho que deixar como está, nos pontos corridos, seria o mais fácil. Torço para que o calendário se estenda em mais uma data, pelo menos para uma partida desempate, em caso de pontuação igual. Algumas (poucas) ligas prevêem isso e acho bastante razoável.

A mais equilibrada liga nacional do planeta começa com a habitual lista de 3 a 5 favoritos, mais meia dúzia de “grandes” clubes que podem surpreender, e os tradicionais candidatos à degola. É praticamente unânime entre analistas e torcedores que o Santos é o melhor time do Brasil, logo à frente de Corinthians e Fluminense. Estes times são os principais candidatos ao título, e o Santos só não fica num nível acima devido à incompetência da CBF, que, apesar de ter melhorado muito neste aspecto, ainda (des)organiza o calendário, permitindo que se disputem rodadas do Brasileirão em datas FIFA, o que desfalca os principais times nacionais. Neste ano, os principais prejudicados serão Santos, São Paulo e Internacional, que cederão craques para amistosos e Jogos Olímpicos. O Corinthians, com seu time de jogadores nota 7, se beneficiará pelo elenco homogêneo e sem desfalques, o que o coloca ao lado do Santos nesta disputa elo caneco.

Como fiz em 2011, aqui vão meus palpites para a competição, primeiramente dividindo os clubes por nível de aspiração:

1) Título: Corinthians, Santos, Fluminense e Vasco da Gama

2) Libertadores: São Paulo, Internacional, Grêmio e Atlético-MG

3) Sulamericana: Palmeiras, Botafogo, Flamengo, Coritiba, Figueirense, Bahia e Cruzeiro

4) Evitar rebaixamento: Sport, Atlético-GO, Ponte Preta, Portuguesa e Náutico

Mais uma vez é com imensa tristeza que meu palpite é de que o Corinthians seja campeão. A razão está no fato de que esta competição premia a regularidade e alguns treinadores, como Muricy Ramalho e Tite, sabem conduzir uma equipe durante a maratona de jogos, extraindo o máximo dos jogadores e pressionando-os para jogar com vontade, o que geralmente resulta em vitória, na maioria das vezes magra e feia, mas que valem os mesmos três pontos de uma goleada. Outra grande vantagem está no fato de que o time é o único que sempre atua com casa cheia, e forte pressão da torcida, o que também costuma resultar em excelente  percentual de vitórias em casa.

Estarei de volta ao Brasil e pretendo fazer a minha parte, ajudando meu Tricolor nas partidas no Morumbi, e quem sabe consigo ver o tetra, já que quando saí do Brasil, em 2008, foi assim que deixei meu querido time.

Faltando 10 rodadas, quem leva o, a cada ano mais fraco, Brasileirão 2011 ?

Craques do Brasileirão 2011

Craques do Brasileiro - Placar/Set2011

Após a rodada deste último fim de semana, faltam apenas dez jogos para o final do Campeonato Brasileiro 2011, e esta reta final será mais uma vez altamente disputada e emocionante, apesar de, para tristeza daqueles que como eu gostam de bom futebol, seremos “premiados” com jogos horrorosos, provavelmente erros de arbitragem e suspeitas de favorecimento, que são fomentadas pela imprensa para difamar os vencedores e colocar em dúvida a legitimidade das conquistas.

Como paulistano, vejo mais uma vez o perigo de ter um representante da minha cidade como líder de toda a competição, mas que na hora da verdade entrega o título de bandeja para um rival carioca. Isto ocorreu em 2009 com o Palmeiras, que liderou por 17 rodadas e tinha imensa vantagem, e no final viu seu time implodir e ficar fora até da Libertadores. Em 2010 o Corinthians liderou por 12 rodadas, mas ficou a maior parte do tempo atrás do Fluminense, que mostrou-se mais regular e ficou na ponta por 23 rodadas. Nesse ano, a galinhada esteve na ponta em 18 das 28 rodadas, e para minha tristeza já enfrentou boa parte dos jogos mais difíceis neste segundo turno, e tem um caminho relativamente fácil até o final. O mesmo ocorre com meu cambaleante Tricolor, que tem restante de tabela relativamente fraco, e pode até beneficiar-se pelo confronto com o Santos (disparadamente o melhor time do país) na rodada final, pois é provável que o adversário poupe jogadores para a viagem ao Japão, que deverá ocorrer poucos dias depois deste duelo. O último candidato é o imprevisível Flamengo, que aparentemente recuperou a boa fase, com muita estrela nas últimas semanas, e também terá jogos relativamente tranquilos daqui pra frente. O Vasco é quem tem a pior tabela, e corre sério risco de distanciar-se rapidamente do pelotão de frente, e conquistar a difícil dobradinha tupiniquim (Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro).

Minha previsão do início da competição já foi por água abaixo, pois o Inter (na minha opinião com o segundo melhor time do país) vem tendo desempenho instável, alternando partidas maravilhosas com derrotas ridículas, e não deve oferecer perigo de título. Outro fiasco ficou por conta do Cruzeiro, que considerava grande favorito e que está enfrentando imensas dificuldades, e pode muito bem ser rebaixado para a Segundona. Acho que serão rebaixados América-MG, Avaí e Ceará. A última degola ficará entre os Atléticos Mineiro e Paranaense, Cruzeiro e Bahia.

Desde que passou a ter 20 clubes, em 2006, o campeonato vem sendo conquistado com campanhas cada vez mais fracas, pois o São Paulo ganhou com 78, 77 e 75 pontos entre 2006 e 2008, mas o Flamengo obteve apenas 67 em 2009 e o Fluminense um pouco melhor, com 71 pontos em 2010. Acho que o campeão de 2011 ficará entre 68 e 72 pontos, e dificilmente teremos mais de dois times acima dos 70 pontos. A Globo apresentou hoje este estudo de seu matemático, considerando o Corinthians o favorito com 45% de chances de título, seguido por Vasco com 26% e Botafogo (que ainda fará 11 partidas) com 12%, à frente de São Paulo e Flamengo com 7% e 6% respectivamente.

Tomara que as previsões (minha e do matemático) estejam erradas, e que o Corinthians se atrapalhe mais uma vez, que algo ilumine o terrível Adilson Batista e meu tricolor, e que pelo menos não tenhamos nenhuma grande polêmica, má-fé ou armação, nesta reta final do fraquinho, mas sempre querido Brasileirão.

Sobre a rivalidade crescente e outros problemas no futebol brasileiro

É esse o Trio de Ferro que queremos ? - http://www.giginarede.com.br

Nesta semana onde o São Paulo perdeu para o Fluminense, culminando na lamentável atitude de grande parte da torcida em comemorar uma goleada de 4×1, e com a provável (e nesse caso completamente justificada) escalação de um time reserva pelo Palmeiras no próximo domingo contra os mesmos cariocas, voltou à tona a discussão que parece infindável entre torcedores do Trio de Ferro paulistano, alimentada pela extrema ignorância da imensa maioria dos torcedores e explorada pela cada vez mais desqualificada imprensa esportiva brasileira.

O primeiro responsável por tal ocorrência é o estúpido calendário do futebol brasileiro e sul-americano. E o problema não está na falta de adaptação ao calendário europeu, pois atualmente existem duas janelas de transferência, mesmo que a de janeiro seja pequena. Como o auto-proclamado “país do futebol”, o Brasil poderia, com um mínimo de inteligência, caráter e boa vontade dos envolvidos, produzir o melhor campeonato de futebol do mundo, pois temos uma grande diversidade de clubes que não existe em nenhum campeonato de futebol do planeta, e se assemelha muito mais com a realidade das ligas americanas onde o equilíbrio e alternância de títulos é infinitamente maior do que nas ligas do Velho Continente, onde a disputa geralmente fica entre 2 ou 3 times ano após ano. A falta de coragem em reduzir drasticamente os campeonatos estaduais, que pareciam fadados à morte no final do último milênio, torna o calendário extremamente apertado e acaba com a tão importante pré-temporada, que permite aos clubes o desenvolvimento físico e técnico dos atletas e o entrosamento do time.

Logo em seguida vêm as principais vilãs, que são a CBF e a CONMEBOL. A primeira não dá a mínima para as competições internas, preocupando-se apenas com os milionários contratos obtidos com a Seleção Brasileira (que será tratada em breve post neste blog) e atualmente na “organização” da Copa do Mundo de 2014. Apesar de não gostar muito de campeonatos de pontos corridos, creio que o formato, testado e aprovado há décadas na Europa, é o mais adequado para um campeonato nacional de futebol, pois permite um planejamento que, na maioria das vezes, culmina com os melhores da temporada disputando o título, e com certo equilíbrio até as rodadas finais. Neste ponto a CBF acertou, mas no mesmo momento que o fez, errou completamente ao impedir que os clubes que disputam a Libertadores participem da Copa do Brasil e, futuramente, da Copa Sul-Americana. Desta forma os clubes de maior sucesso são completamente prejudicados, pois deixam de ter a oportunidade de conquistar um título de razoável importância, e que em ambos os casos oferecem uma vaga direta para a Libertadores, com caminho mais fácil do que o extenuante Brasileirão. A CBF deveria abrir a Copa do Brasil para todos os clubes que se qualificassem, e disputá-la durante todo o ano, paralelamente ao Brasileirão.

A CONMEBOL é mais incompetente, e provavelmente mais desonesta em relação ao caráter desportivo, do que a CBF. Muda os regulamentos no decorrer das competições da forma mais natural, cria competições idiotas e convida participantes que não possuem nenhum vínvulo com a entidade ou o continente. A presença da seleção do México e dos clubes do país na Copa América, Libertadores e Sul-americana é uma vergonha. Já se tornou uma coisa normal e nenhum dos filiados da CONMEBOL se incomoda com isso. Em 2011, a Copa América terá mais uma vez a participação do Japão. JAPÃO !!!!!

Ao invés de organizarem a Sul-Americana simultaneamente à Libertadores, para incluir um maior número de times em competições internacionais, realizam uma em cada semestre. As duas competições ao mesmo tempo permitiriam um calendário mais estendido, onde a Libertadores poderia durar o ano todo, e não ter que ser disputada como de costume, com inúmeras paradas e depois uma correria maluca, com partidas todas as semanas.

Mas o que isso tem a ver com a rivalidade dos Trio de Ferro ??? Esta falta de respeito das entidades causa desorganização nas competições, e gera a necessidade de priorizar competições e objetivos distintos entre os clubes. Imaginem a Libertadores sendo disputada ao mesmo tempo que a Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Brasileirão, como acontece na Europa ? Dificilmente um time iria facilitar a vida do outro ou poupar jogadores, pois até as últimas datas ninguém sabe quem será o campeão ou terá vaga garantida nas competições do ano seguinte. Desse jeito, seria muito difícil que um time forte abrisse mão do Brasileirão, como ocorreu com todos os que ganharam a Libertadores nos últimos anos, que acabam poupando seus atletas no Brasileiro, pois já têm a vaga da Libertadores na mão.

Os demais culpados são os já mencionados torcedores e a imprensa, mas também os dirigentes, que não compreendem que suas atitudes impensadas ou revanchistas podem gerar um problema de relacionamento de longo prazo. Um exemplo claro disso está na direção do Corinthians desde que Andrés Sanchez assumiu. Apesar de não gostar ou aprovar a administração de Juvenal Juvêncio no São Paulo, creio que as atitudes de Andrés em deliberadamente agir como opositor do São Paulo, em qualquer esfera imaginável, só traz prejuízo ao futebol paulista. Luiz Gonzaga Belluzzo seguiu pelo mesmo caminho em 2009, mas com os problemas de saúde e as inúmeras críticas recebidas, percebeu o papelão que vinha fazendo e os problemas que causava, e baixou a bola. Quem tem ganho com isso ? Os adversários de outros Estados, pois os cariocas, que não figuravam entre os candidatos ao título nacional desde os anos 90, serão provavelmente bicampeões brasileiros, caso o Fluminense leve o título, e se esta tendência continuar o domínio paulista, tão forte na última década, poderá sucumbir.

Uma das primeiras coisas que aprendi ao ingressar no meio do esporte foi que equipes devem ser adversárias somente durante as partidas, e que o sucesso de uma depende integralmente do sucesso das demais. Já mencionei anteriormente neste blog que a grandeza do Trio de Ferro só existe, e consolidou-se nos últimos tempos, pela existência e pela força que os três clubes possuem. O Milan não seria tão grande se não existisse a Internazionale, o Barcelona precisa do Real Madrid e nossos clubes dependem de um rival competitivo para continuar investindo e crescendo, senão serão dominados por rivais, seja de outros Estados ou países vizinhos.

Espero que cada amigo que leia este blog e concorde ajude a disseminar esta idéia, pois quem sabe os comandantes do futebol brasileiro, nas federações ou clubes, parem de pensar pequeno e gastar energia pensando em atrapalhar os outros, e tratem de realizar competições mais eficientes, rentáveis e com maior credibilidade e justiça.

Torcidas no Futebol Brasileiro

Gráfico das maiores torcidas do Brasil - LANCE!-Ibope

O gráfico acima, publicado no Diário LANCE! em maio, apresenta a quantidade de torcedores dos principais clubes brasileiros, em pesquisa realizada pelo IBOPE com mais de 7 mil pessoas em todo o Brasil. Flamengo e Corinthians continuam com folga na liderança, e como já era previsto pela tendência das últimas décadas, o São Paulo  consolida-se como a terceira maior torcida, e que apresenta maior crescimento.

O histórico domínio carioca, causado pelo fato do Rio de Janeiro ser a capital do Brasil e dominar a mídia ao redor do país até os anos 90, foi claramente superado pelos paulistas, especialmente pelo desempenho muito superior dos clubes do estado desde os anos 90, com diversas conquistas (12 a 5 em Brasileiros e 4 a 1 em Libertadores desde 1990), além de que os clubes paulistas sempre estiveram disputando os títulos, com grande visibilidade na TV aberta às quartas e domingos, e atualmente rivalizam com o Flamengo no Centro Oeste e Nordeste, algo impensado há anos atrás.

A quantidade de clubes com grande torcida e tradição é a principal característica do futebol brasileiro, especialmente se compararmos aos campeonatos europeus, e esta divisão torna nosso campeonato nacional, na minha opinião, o mais difícil do planeta, seja ele disputado em pontos corridos, playoffs, mata-mata, etc. A edição de 2010 chegará ao final do primeiro turno neste próximo final de semana, e pelo jeito a disputa ficará entre Fluminense e Corinthians, com Internacional e Santos correndo por fora. Dá pra ver o tamanho da dificuldade em conquistar este título quando vemos que os cariocas não vencem desde 1984, o que aliás foi a única conquista do Flu, que por sinal foi patrocinado pelo saudoso Banco Nacional na final contra o Vasco.

Outro fato curioso está na relação das torcidas com seus times. Apesar de ainda existirem diferenças sócio-econômicas entre algumas torcidas, na prática o perfil dos torcedores não é muito diferente, pois a grande massa, principalmente a que vai aos jogos e faz barulho e pressão, é composta por jovens, do sexo masculino e das classes B e C. Esta constatação é minha, baseada tanto em pesquisa quanto em experiência de 30 anos acompanhando de perto o futebol brasileiro, torcendo para o São Paulo e indo a muitos jogos do Santos, Palmeiras e Corinthians por motivos profissionais.

Trabalhei perto de pessoas das classes mais baixas, e a realidade é que estas pessoas não têm tempo nem dinheiro para ir ao estádio, e muito menos acompanhar jogos às 22 horas numa quarta-feira. Mesmo sendo bastante semelhantes, ainda existe uma diferença entre as principais torcidas, ao menos na cidade de São Paulo, especialmente nas chamadas “numeradas”. Os palmeirenses são realmente os mais chatos com o time, pois gostam de um futebol bem jogado e não se contentam com jogadores medíocres, fato que eu concordo totalmente. Corinthianos exigem apenas dedicação dos jogadores, e orgulham-se de serem sofredores, e na minha opinião realmente preferem sofrer. É uma coisa extra-sensorial que ataca este grupo, que Graças a Deus não aflige os demais torcedores. São-paulinos são irritantemente (acho que esta palavra não existe ?!?!) auto-suficientes, sempre gritando os louros e desmerecendo as derrotas. Me considero uma exceção, principalmente pelo fato de ter vivido dentro do mundo do futebol por vários anos, e perdido muito da paixão cega do torcedor, e hoje consigo facilmente acompanhar sem grandes exageros. Exceção feita para os 90 minutos dos jogos, quando fico tão “cego” quanto qualquer outro fanático, mas logo após o apito final me recomponho.

Encerro este post comentando este fanatismo exagerado e em muitas ocasiões gratuito, que se apresentou nas últimas semanas com as diversas celebrações do centenário do Corinthians. Sinceramente não entendo motivo para tanto barulho. A maioria dos clubes do gráfico acima já completou seu centenário, e nenhum deles fez 10% do oba-oba do Corinthians. Reconheço que o corintiano é mais ligado ao time do que a maioria dos torcedores, que o desempenho do clube afeta a vida de muitos, mas tem gente abusando. Minha sorte é que moro muiiiiiito longe de São Paulo, porque deve ter sido insuportável ver esta galinhada gritando o dia todo. Qual a glória em completar 100 anos ? Pelo que percebi, o Noroeste, time do grande tio Oswaldo, nasceu no mesmo dia, e nem por isso houve motivo de tanta festa. Registrar esta data histórica é legítimo e louvável, mas o que fizeram foi desnecessário. E o pior é que em dois anos chega a vez do Santos e em quatro do Palmeiras, que certamente repetirão o “sucesso” deste ano. Azar de nós todos 😦

%d bloggers like this: