Curiosidade entre Internacional e Corinthians

Inter vence e está com a mão na taça - EFE

Com uma belíssima atuação, o Internacional vence o Chivas em Guadalajara e está muito perto do bi da Libertadores. Apesar de ainda estar com raiva dos gaúchos, que merecidamente eliminaram meu Tricolor na semifinal, reconheço que jogaram muito melhor e o placar foi justíssimo.

Apesar de uma campanha relativamente irregular e confrontos emocionantes e equilibrados em toda a competição, o Inter será um grande representante da América do Sul caso confirme o título na próxima semana, e na minha opinião será favorito ao título no mundial de Dubai, pois tenho minhas dúvidas em relação à força da xará Internazionale, após a saída do mestre José Mourinho e atualmente nas mãos do babaca do Rafa Benítez. O destaque será o duelo entre os frangueiros do ano, Julio César x Renan 🙂

Em relação ao título do post, achei muito curioso o fato de Internacional e Corinthians terem desempenhos tão opostos ao comprarmos competições nacionais e internacionais. Os gaúchos não ganham um Brasileiro há mais de 30 anos, e levaram uma única Copa do Brasil, com ajudinha da arbitragem, nos idos de 1992. Mas tornaram-se os maiores rivais do Boca Juniors na América do Sul, com diversas conquistas internacionais nos últimos 4 anos. Já o Corinthians, especialmente desde o final dos anos 90, tem tido bom (apesar do rebaixamento :-)) desempenho doméstico, mas continua ridículo nas competições continentais. Enquanto São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro, Santos e Inter têm títulos, vice-campeonatos e mais de 5 semifinais de Libertadores cada, o Timinho só chegou numa semifinal em 8 participações.

Anúncios

About maesano

Entrepreneur at heart, Brazilian living in Central Virginia, father of beautiful 5-year-old twins and married to the greatest woman on Earth

Posted on 12/08/2010, in Futebol Brasileiro, Futebol Internacional and tagged , , , . Bookmark the permalink. 7 comentários.

  1. Agora eu concordei com quase tudo…..mais ponderado é sempre mais legal…..o Corinthians é um time mal gerido e parece que sempre será assim e isso custa caro, como custa ao Flamengo. Fomos parar na segunda divisão por conta disso. A gestão do São Paulo tem sido muito superior e isso se reflete nos resultados, mas sempre é bom lembrar que houve um período longo, de mais de 10 anos, em que gestões ruins fizeram o São Paulo ficar à margem das disputas mais importantes, além da terrível era pré-Telê! Cada vez mais a gestão é importante (é óbvio), vide o que tem acontecido com o Internacional, capaz de fazer investimentos robustos ano após ano e de disputar todos os campeonatos para ganhar. Isso é uma coisa, mas os problemas do São Paulo nos mata-matas e do Corinthians na Libertadores já são caso de estudo.
    Tudo bem que 99 e 2000 perdemos nos pênaltis, mas se na primeira tínhamos um time inferior, na segunda era marcadamente superior e era para ter ganho. Frangou, ponto final. Eu sempre disse que o problema era disputar Libertadores com técnicos medianos. Chegou o dia de disputar com Mano Menezes. Perdemos do mesmo jeito. É verdade que nenhum time seria campeão jogando com 10 jogadores todas as partidas, mas se esse foi o do preço do sucesso de 2009, paciência.
    O São Paulo tem perdido seus jogos contra rivais brasileiros há 5 anos, sendo 4 nas quartas-de-final, que na Libertadores não é fase avançada. Quase sempre com time pelo menos no mesmo nível do adversário. Também não me parece normal. Sempre digo que o segredo do São Paulo na Libertadores é jogar todo ano, o que é um elogio à regularidade, mas a crítica de que deveria ter mais conquistas ali também é valida. O resto serve como piada saudável entre os times e eu só escrevi da faixa porque você fez um post inteiro sobre isso, pô.
    Para terminar, essa do Eliel foi sacanagem, né? Quando eu falei do Guarani e do Bragantino, era para falar sobre tradição e peso da camisa e eu respeito o São Paulo o suficiente para não colocar nem perto do mesmo saco, mas nesse time do Eliel, jogavam os seguintes jogadores: Zetti, cafu, Antonio Carlos, Leonardo, Bernardo, Raí, Mario Tilico e Elivelton!!!!!!! O Corinthians era Ronaldo, Giba, Marcelo, Guinei e jacenir, Marcio pancada, Wilson Mano, Tupãzinho e Neto, fabinho e Mauro van Basten…o São Paulo era muito superior, tinha a vantagem dos empates e tinha que ter ganho.
    abs.

    Gostar

  2. A faixa estará no próximo jogo no Pacaembú: “O Inter só nos dá alegrias”……talvez seja uma injustiça com Grêmio, Cruzeiro e Fluminense ou qualquer time que tenha mais de 10mil torcedores, massa mais que suficiente para intimidar os valorosos jogadores tricolores em qualquer competição, mas não dá para levar tantas faixas assim……Boa sorte no blog e sempre escreva sobre o Coringão……gostamos de ser reverenciados pela freguesia. Abs.

    Gostar

  3. E, também apenas por curiosidade, Interncaional e o Bambis FC são fregueses do Time Grande do Parque São Jorge…o Futebol é cheio de surpresas!!

    Gostar

    • Cris e Chris (casalzinho gambá),
      obrigado pelos comentários esclarecedores. Me perdoem por não mencionar o detalhe do meu Tricolor estar há uns 4 anos sem vencer seu Timinho. Quem sabe damos um belo presente pelo SEMtenário no domingo que vem. Se o árbitro não for da FPF (com exceção ao único que presta, Paulo César de Oliveira), acho que é jogo equilibrado. Do contrário acho que o tabu continua.
      Apesar das alfinetadas, não houve contestação sobre a curiosidade do meu comentário. Creio que foi muito correto e quase 100% respeitoso, onde reconheci os “sucessos” dos últimos tempos. Me perdoem por esquecer o inédito título de 2008.
      Quanto às eliminações pelos times listados, e mesmo às algumas ocorridas frente ao Timinho, não há o que contestar ou, no meu caso, lamentar. Eliminações sofridas só acontecem com times fortes, que participam e chegam em momentos decisivos nas competições que participam. E este é o caso, singular no âmbito nacional, do grande São Paulo Futebol Clube.
      Jogando bem ou mal, disputamos até as fases avançadas nos Brasileiros, Libertadores e até no lixo do Paulistinha. Tenho certeza de que, se o Timinho pudesse chegar longe na maioria dos campeonatos que disputa, teria diversas eliminações marcantes no passado recente.
      Beijos, Adri

      Gostar

      • Não pretendo me alongar muito nessa discussão, mas algumas coisas são inevitáveis. Primeiramente, não me referi à freguesia dos últimos anos, até porque não dou o menor valor a isso. Minha referência foi à freguesia institucional, afinal de contas, são quase (ou mais,sei lá, já perdi a conta) de vinte vitórias no confronto direto e quando os jogos são disputas de finais e semi-finais é uma supremacia digna de um grande contra um pequeno.
        Já quanto ao que você fala sobre arbitragens, talvez um ingresso para um show qualquer ou uma cortesia aos familiares de um árbitro deva resolver o problema. Afinal de contas, isso é apenas um trabalho de relações públicas.
        Reconheço o grande mérito do São Paulo: ter uma gestão mais eficiente que os demais, o que permite, na média dos campeonatos, que ele termine bem posicionado. Contra fatos não há argumentos. É notável, porém, que no período pré pontos-corridos, os títulos tricolores tenham sido conquistados sobre os grandes Bragantino, Guarani e Atlético Mineiro e essa dita supremacia tenha surgido apenas recentemente, quando retirou-se o mata-mata de circulação. Os pontos corridos salvaram o tricolaço de seguir protagonizando derrotas risíveis ano após ano. Afinal, já tínhamos 14 anos em branco. Nem vou citar a Copa do Brasil, desde a época em que era jogada por todos, sempre, porque é parte da mesma história e tem aquela final contra o Cruzeiro, 45 do segundo tempo, alguém pula na barreira, o mito perde o passo, é muito doloroso falar sobre isso.
        Agora chegarei onde você quer: Libertadores (quartas-de-final é fase avançada?). É verdade. Na Libertadores o Corinthians é o que o São Paulo é numa disputa brasileira: pega um time grande local ou estrangeiro e toma pau. É fato e ao invés de contestar isso, estou mais preocupado em tentar entender porque um time tem comportamentos tão distintos contra os mesmos adversários, bastando mudar o nome do campeonato. Vergonhoso, mas como diria um técnico de futebol, isso é uma discussão interna e esse é um blog “inimigo”. Mais uma vez, o grande mérito do gigante do Jardim Leonor é disputar sempre essse campeonato, o que permite que de vez em quando pegue uma daquelas tabelas em que você joga, joga contra ninguém e vai indo e vai indo e pega um Newell’s ou uma Universidad ou um Atlético Paranaense (ainda por cima no Beira Rio) e ganha. Não estudei isso, mas se a memória não me trai, creio que salvo a vitória sobre o River Plate (que só ganha do Corinthians, o que também é vergonhoso) e vitórias sobre o Palmeiras, que está para vocês como vocês estão para nós, não temos nenhum time grande na lista de adversários do tricolino nessas conquistas.
        Finalizando, é sempre bom lembrar corretamente a história, porque isso dá a verdadeira dimensão das coisas. O fato do são-paulino adorar falar do Corinthians, cantar músicas sobre o Corinthians em seus jogos, ou cantar o nome daqueles que enfrentarão o Corinthians em datas próximas deve ser mais explorado por você nas suas análises, apesar de você ser um claro representante da classe, como visto nesse post.
        Eu, como de costume, agradeço sempre quando alguém fala mal do Timão, nos reverenciando com a grande perda do precioso tempo.
        Bjs e abraços alvinegros, Chris.

        Gostar

        • Essa história de que todo mundo se preocupa com o Corinthians, sem dúvida verdadeira, não pode ser analisada isoladamente. Os três grandes de São Paulo só têm o status atual por causa desta rivalidade, e devido ao fato de ter a maior torcida, e principalmente uma maior presença (justificada) na mídia, o Corinthians é o time “mais odiado” pelos rivais. Mas dizer que só os adversários se preocupam, e que os corintianos não estão nem aí para os rivais, é um exagero. Pode até ser o seu caso, mas não o da maioria. Com certeza não é o caso da Cris, que está nas nuvens desde o dia 5 de agosto 🙂
          Em relação aos “fracassos” do São Paulo em mata-matas, continuo achando que é fruto do constante sucesso do clube. Se chegássemos em fases avançadas apenas quando tivéssemos um time forte, certamente nosso desempenho seria melhor. Não sei se isso é bom ou ruim. Eu prefiro meu time chegando todo ano, mesmo que perca diversas vezes. É por isso que temos, disparadamente, todos os recordes do Campeonato Brasileiro, em vitórias, pontos, gols, títulos, vice, e se bobear até de terceiro lugar. Isso em pontos corridos ou qualquer formato.
          O Corinthians é um clube que oscila muito mais, mas certamente mostra que, quando consegue chegar em uma fase decisiva, geralmente tem um time forte e consegue vencer várias decisões. Pode ser que alguns prefiram assim.

          PS: Diminuir os títulos do SP pela “grandeza” de alguns adversários não me parece correto. O Atlético de 77 era o melhor time do Brasil, disparado, invicto e decidindo em casa. O Guarani de 1986 era outro time espetacular, e novamente o jogo foi fora de SP. O Bragantino era muito bom, mas não como os anteriores. Mas também decidiu em casa, e ainda tinha o Parreira no banco. Não sei se estas decisões foram mais fáceis do que as do Corinthians, pois o time de 90 do SP tinha Eliel (alguém lembra dele?) no comando do ataque, e o Galo de 99 era um time bem fraquinho. O Cruzeiro de 98 era um ótimo time, e a decisão foi uma das melhores da história do Brasileiro.

          Gostar

Comente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: